INFRAESTRUTURA

Eixo Norte da transposição do Rio São Francisco vai parar por 45 dias a partir de 25 de maio

Durante a paralisação serão trocadas válvulas das motobombas de estações de bombeamento e feita uma manutenção no revestimento dos canais. O Eixo Norte capta a água em Cabrobó, sertão de Pernambuco, e segue até a região de Jati, no Ceará

Angela Fernanda Belfort
Angela Fernanda Belfort
Publicado em 07/05/2021 às 13:20
Notícia
ARNALDO CARVALHO/JC IMAGEM
EIXO NORTE Suspensão vai durar 45 dias e pode prejudicar 30 mil pessoas - FOTO: ARNALDO CARVALHO/JC IMAGEM
Leitura:

O Eixo Norte da transposição do Rio São Francisco vai parar durante 45 dias. O trecho ainda não está todo em operação, apesar de ter sido inaugurado pelo atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A paralisação vai ocorrer por causa da suspensão do bombeamento no Eixo Norte, um dos canais da transposição do Rio São Francisco. Também serão realizados serviços de manutenção no Trecho 1 do Eixo Norte, que capta a água em Cabrobó, no Sertão de Pernambuco, e segue até as imediações da Barragem de Jati, no Ceará. Inicialmente, esta paralisação estava prevista para a próxima segunda-feira (10). Cerca de 30 mil pessoas podem ser prejudicadas com esta paralisação em Pernambuco. 

>> Levar água da transposição para casa dos nordestinos vai encarecer a conta de água no futuro; saiba quando

Os consumidores da água do Eixo Norte em Pernambuco são comunidades - algumas de pequenos agricultores - nas cidades de Salgueiro e Terra Nova, ambas no Sertão do Estado, de acordo com informações da secretaria estadual de Infraestrutura (Seinfra). Durante os 45 dias, será feita a manutenção na Estação de Bombeamento 1 e troca de válvulas das motobombas das estações de bombeamento 2 e 3, responsáveis por levar a água do Velho Chico para Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

Segundo informações do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), durante a suspensão do bombeamento, será realizada a manutenção de revestimento nos canais que integram todo o sistema de operação do Trecho 1 do projeto. Os canais da transposição já romperam trazendo transtornos à população que vive próxima aos canais. 

A sistemática de execução dos serviços foi discutida entre o MDR e os Estados beneficiados, que estão cientes de que, durante a parada, serão suspensos os fornecimentos de água que saem do Eixo Norte.

Em obras desde 2007, o Eixo Norte ainda não foi totalmente concluído e tem 260 quilômetros de extensão, três estações de bombeamento, 15 reservatórios, oito aquedutos e três túneis. Todas as estruturas responsáveis pela passagem de água até o Reservatório Caiçara, na Paraíba, estão concluídas, restando oito quilômetros de canais até o reservatório Engenheiro Ávidos, também na Paraíba, e serviços complementares que não comprometem a pré-operação, de acordo com o MDR. O total de execução física do trecho é 97,84%.

Quando todas as obras estiverem concluídas e em funcionamento, a expectativa é que o Eixo Norte garanta segurança hídrica a 6,5 milhões de pessoas em 220 cidades paraibanas, pernambucanas, cearenses e potiguares. A expectativa é que a água do Eixo Norte chegue até a Região Metropolitana de Fortaleza, no Ceará.

Além do Eixo Norte, a transposição também é formada pelo Eixo Leste, que começa em Floresta, Sertão de Pernambuco, e vai até a cidade de Monteiro, na Paraíba. Este trecho foi concluído em março de 2017. Cerca de 400 mil pessoas consomem a água que passa pelo Eixo Leste em Pernambuco. Até o final deste ano, um total de 800 mil pessoas devem estar sendo abastecidas com a água que por este trecho do canal, numa estimativa feita pela Seinfra.  

 

Comentários

Últimas notícias