AVIAÇÃO

Voos da Itapemirim vão deixar a passagem aérea mais barata?

A expectativa de quem atua no setor de turismo é de que a entrada da Itapemirim provoque uma redução no preço da passagem, mas o que aquece todos os setores é o crescimento da economia

Angela Fernanda Belfort
Angela Fernanda Belfort
Publicado em 10/05/2021 às 11:49
Notícia
Divulgação
Os voos comerciais da Itapemirim vão começar a ser operados no dia 30 de julho - FOTO: Divulgação
Leitura:

A entrada da Itapemirim como companhia aérea vai aumentar a concorrência no setor e isso pode fazer a passagem ficar mais em conta, segundo dois profissionais que atuam na área de Turismo. "Quantos mais voos melhor. A concorrência deixa o preço mais competitivo e a tendência é a passagem ficar mais barata e o serviço melhorar", resume o presidente da Associação Brasileira da Indústria dos Hoteis em Pernambuco (ABIH-PE), Eduardo Cavalcanti. Ele considerou uma excelente notícia a entrada de mais uma empresa neste mercado. A Itapemirim planeja oferecer um voo ligando Recife a Ribeirão Preto, em São Paulo, cidade muito ligada ao agronegócio. 

>> Conheça os aviões da Itapemirim que começarão a voar no Brasil 

As companhias aéreas reduziram a quantidade de voos por causa da pandemia e o setor de Turismo foi um dos mais impactados pela crise econômica provocada pela grande crise sanitária, que fez sumir o turista. Aos poucos, o setor vem retomando as suas atividades.

"A entrada de um novo player neste mercado, tende a tornar mais competitivo o ambiente entre as empresas. Tudo depende do nicho de mercado que a Itapemirim vai tentar atender. A empresa já tem longa experiência com transporte de passageiros", comenta o assessor de economia da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Pernambuco (Fecomércio-PE), o economista Ademilson Saraiva.

Ele argumenta também que, nesse primeiro momento, há uma tendência ainda na redução do número de viagens por causa da pandemia. "Também acreditamos que com a maior idade imunizada, há uma tendência desses passageiros voltarem a viajar mais rapidamente", comenta.

A expectativa de quem atua no setor é de que uma maior concorrência traga preços mais baixos nas passagens aéreas, mas o que vai contribuir para a retomada de todo o setor de turismo é o aquecimento da economia que depende de muitos fatores, inclusive da vacinação de grande parte da população do País, entre outras coisas. 

COMPANHIA

A Itapemirim recebeu, neste domingo (09) a sua segunda aeronave, um air bus 320 que terá 162 assentos. Inicialmente, a empresa planejou começar a operar voos comerciais em março último, mas ocorreu um atraso. A companhia já obteve a certificação da Agência Nacional de Aviação Civil para operar neste mercado. A empresa já fez voos para obter esta certificação em abril último, passando pelos aeroportos de Guarulhos, Belo Horizonte, Porto Alegre e Rio de Janeiro.

A primeira aeronave da empresa é de fabricação europeia, tem 15 anos de uso e poderá transportar até 180 passageiros. Conhecida no ramo do transporte rodoviário, a Itapemirim transportou 2,2 milhões de pessoas em 2020 contra 1,7 milhão em 2019. A diminuição ocorreu por causa da pandemia.

Informações veiculadas na imprensa afirmam que a empresa fará as seguintes rotas: Ribeirão Preto(SP) - Recife; Ribeitão Preto- Guarulhos (SP) , Porto Seguro (BA)-Guarulhos e Salvador (BA)- Guarulhos. A reportagem do JC entrou em contato com a assessoria da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e está aguardando o retorno.

Segundo informações da assessoria de imprensa da Anac, "a etapa concluída pela empresa Itapemirim há pouco tempo foi a de certificação operacional. A partir de agora, é necessário que seja finalizada também a fase final de outorga da concessão — processo de verificação de regularidade jurídica e fiscal". Caso a empresa atenda todos os requisitos estabelecidos, é obtido o Certificado de Operador Aéreo (COA) junto às áreas técnicas e o processo de outorga passa pela aprovação da diretoria colegiada da Agência, antes de ser publicada no Diário Oficial da União (DOU).

Ainda de acordo com a Anac, os voos comerciais poderão ser iniciados após a conclusão de todo o processo. Nao há data prevista para isso. 

 

DIVULGAÇÃO
FROTA Ita vai começar a atuar no Brasil com 5 aeronaves. Até junho de 2022, serão 50 aviões para 35 destinos - FOTO:DIVULGAÇÃO

Comentários

Últimas notícias