RECUO

Aumento da conta de água em Pernambuco é suspenso para mais de 600 mil pessoas; veja se você é uma delas

De acordo com a Compesa, a decisão foi tomada após uma recomendação do governo do Estado

Marcelo Aprígio
Marcelo Aprígio
Publicado em 21/07/2021 às 11:42
Notícia
RODOLFO LOEPERT/PREFEITURA DO RECIFE IMAGEM
ENTREVISTA Prefeito, que recebeu R$ 8,9 milhões para campanha, também criticou valor do fundo eleitoral - FOTO: RODOLFO LOEPERT/PREFEITURA DO RECIFE IMAGEM
Leitura:

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) anunciou nesta quarta-feira (21) que desistiu de reajustar em 11,9% as contas de água de clientes com baixa renda, beneficiados pela tarifa social, em agosto deste ano. O aumento havia sido aprovado pela Agência de Regulação de Pernambuco (Arpe) na segunda-feira (19) e foi publicado no Diário Oficial nessa terça (20). Com o recuo, cerca de 600 mil pernambucanos serão beneficiados pela medida.

De acordo com a Compesa, a decisão foi tomada após uma recomendação do governo do Estado, em virtude da pandemia de covid-19. A empresa pública informou ainda que já solicitou à Arpe a suspensão do reajuste na tarifa social, que permanecerá R$ 9,44.

Por meio de nota, a estatal afirma que os clientes da tarifa social foram contemplados com a isenção do pagamento da conta no período de março a setembro de 2020 e, novamente, de março a maio de 2021. "A iniciativa faz parte de uma série de ações que demonstram o compromisso do Governo do Estado e da Compesa com a população pernambucana mais afetada financeiramente pela pandemia do novo coronavírus", diz trecho do comunicado enviado à imprensa.

Reajuste para outros clientes

O recuo, porém, não vale para todos os clientes. Para aqueles que não forem beneficiários da Tarifa Social  o aumento de 11,9% será aplicado a partir de 19 de agosto de 2021.

Com isso, o reajuste deve representar um acréscimo de R$ 5,37 à conta dos clientes convencionais. Quem pagava R$ 45,13 no consumo de até dez milímetros cúbicos de água por mês deverá passar a pagar R$ 50,50.

Para clientes comerciais com consumo de até dez milímetros cúbicos de água por mês, a conta deve sair de R$ 66,40 para R$ 74,30, um aumento de R$ 7,90.

Veja quanto você vai pagar 

TARIFAS POR CLIENTES QUE CONSOMEM ATÉ 10 MIL LITROS POR MÊS

TARIFA ATÉ AGOSTO/2021 TARIFA A PARTIR DE AGOSTO/2021 ACRÉSCIMO
CONVENCIONAIS R$ 45,13 R$ 50,50 + R$ 5,37
TARIFA SOCIAL R$ 9,44 R$ 9,44 + R$ 0,00
COMERCIAIS R$ 66,40 R$ 74,30 + R$ 7,90
INDUSTRIAIS R$ 83,20 R$ 93,10 + 9,90
PÚBLICOS R$ 64,17  R$ 71,80 + 7,63

Leia a íntegra da nota

"Atendendo recomendação do Governo do Estado em virtude da pandemia do novo coronavírus, a Compesa informa que solicitou a Agência Reguladora de Pernambuco (Arpe) a suspensão do reajuste de 11,90% da tarifa social que permanecerá no valor de R$ 9,44. A medida irá beneficiar cerca de 600 mil pernambucanos.

Vale destacar que os clientes da tarifa social foram contemplados com a isenção do pagamento da conta no período de março a setembro do ano passado e, novamente, de março a maio deste ano. A iniciativa faz parte de uma série de ações que demonstram o compromisso do Governo do Estado e da Compesa com a população pernambucana mais afetada financeiramente pela pandemia do novo coronavírus."

Novo aumento

ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Em janeiro deste ano, a população do Estado passou a pagar 2,4% a mais na conta de água, em relação a 2020 - ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM

Três meses após o aumento na conta de energia elétrica, chegou a vez de parte dos moradores do Estado pagarem mais caro pelos serviços da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). Isso porque a Agência de Regulação de Pernambuco (Arpe) aprovou um reajuste de 11,9% na conta de água nessa segunda-feira (19). A portaria que autoriza o incremento no valor da tarifa foi publicada nesta terça-feira (20) no Diário Oficial do Estado.

De acordo com a Arpe, o novo reajuste nas contas de água dos pernambucanos - o segundo só em 2021 - tem como objetivo “compensar os efeitos da inflação de 1º de julho de 2020 a 30 de junho de 2021”.

 

Primeiro aumento

Em janeiro deste ano, a população do Estado passou a pagar 2,4% a mais na conta de água, em relação a 2020. A Compesa justificou a medida na recomposição da perda inflacionária correspondente ao período de julho de 2019 a junho de 2020. Segundo a estatal, o aumento deveria ter sido feito no mês de agosto, mas, por causa da pandemia provocada pelo novo coronavírus, foi adiado para 2021.

À época, a companhia explicou que, embora a pandemia não tenha acabado, estava "em conformidade com a Lei Federal 11.445/2007, que estabelece que os reajustes de tarifas de serviços públicos de saneamento básico sejam realizados no intervalo mínimo de 12 meses, de acordo com a variação da inflação". O último reajuste aplicado pela Compesa, antes de 2021, foi em 12 de agosto de 2019, quando, a tarifa de água subiu 6,72% para todas as categorias de clientes.

TIÃO SIQUEIRA/JC IMAGEM
Conta de água - FOTO:TIÃO SIQUEIRA/JC IMAGEM

Comentários

Últimas notícias