Edital

Pernambuco investirá R$ 6 milhões para financiar pequenos produtores no programa Força Local

Nesta edição, uma das novidades é a inclusão dos segmentos de panificação e de derivados artesanais da cana-de-açúcar

Mirella Araújo
Mirella Araújo
Publicado em 24/11/2021 às 18:06
DOUGLAS FAGNER/SEI
AMPLIADO Foram incluídos os segmentos de panificação e de derivados artesanais da cana-de-açúcar - FOTO: DOUGLAS FAGNER/SEI
Leitura:

O Governo de Pernambuco anunciou, nesta quarta-feira (24), o 5º chamamento público do Programa Força Local com investimento de R$ 6 milhões para esta nova edição. O programa tem como objetivo impulsionar o crescimento dos Arranjos Produtivos Locais (APLs) e outros segmentos econômicos de relevância para os municípios. Nesta edição, foram incluídos os segmentos de panificação e de derivados artesanais da cana-de-açúcar. A inscrição dos projetos pode ser feita até o dia 05 de janeiro de 2022.

O programa, que irá selecionar 50 projetos,  também estabelece uma pontuação extra para APLs com projetos advindos de povos e comunidades tradicionais, com foco em sistemas orgânicos de produção ou com base agroecológica e que promovam o empoderamento feminino.

 

"Estamos tendo um olhar para uma população diferente, para os povos e comunidades tradicionais, as pessoas também que atuam na área da agroecologia, da produção de produtos orgânicos, isso dentro também do desenvolvimento sustentável. Então o programa segue com força, o próprio nome já diz isso, já são mais de 6 mil beneficiados, já disponibilizamos mais de R$ 20 milhões, agora vamos para R$ 26 milhões", destacou o governador Paulo Câmara.

Agora, com a meta de R$ 20 milhões até o final de 2022 tendo sido ultrapassada neste ano, a projeção feita pela Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (Adepe), antiga AD Diper,  é de que o programa alcance o investimento de R$ 30 milhões no próximo ano, com o lançamento de mais dois editais. 

"A procura tem sido grande em cada edital, a gente tem conseguido aumentar principalmente o número de entidades que participam. Essa agregação de outras atividades que vão a cada edital também chegando, a panificação mesmo, a gente sabe que todo município, todo distrito tem uma panificadora, tem alguém que produz o pão, então esse tem um olhar também que agrega e vai agregar também muita gente", explicou Paulo Câmara.

Todo o recurso aportado será destinado à capacitação das equipes das APLs, compra de equipamentos, reforma de espaços e desenvolvimento de negócios. O programa é liderado pela Adepe, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado, e conta uma uma equipe à disposição para ajudar na confecção dos projetos, para que eles sejam submetidos no prazo correto. 

As propostas, que podem estar relacionadas a desenvolvimento econômico e social ou infraestrutura, devem incluir projeto detalhado, plano de trabalho, cronograma de atividades, entre outras especificações. Estas e outras informações podem ser acessadas no edital, disponível no site da Adepe, por meio do link https://www.addiper.pe.gov.br/index.php/editais-arranjos-produtivos-locais/.

São mais de 16 segmentos contemplados no programa Força Local, entre eles produção de mel, criação de tilápia, produção de farinha de mandioca, entre outros. Segundo o presidente da Adepe, Roberto Abreu, nos próximos editais a serem lançados em 2022, novas cadeias produtivas podem ser inclusas, a exemplo deste 5º edital, ou outras novidades sejam anunciadas com relação aos recursos a serem investidos.

"Há sempre uma avaliação dos editais anteriores, sempre uma conversa com todos os arranjos produtivos, com prefeitos, com comunidades e é sempre essa busca pelo aperfeiçoamento. Pode ser até que o próximo a gente não faça uma ampliação, mas sempre a gente procura trazer novidades ou aumento de recursos ou outras novidades que façam o programa cada vez melhor. Então, é um programa não só exitoso, mas em constante aperfeiçoamento e transformação

“Tudo isso está em convergência com a missão do Governo de Pernambuco de promover o desenvolvimento econômico e social, integrando a participação de estruturas produtivas de organização social que promovam a economia popular, como as cooperativas e associações. E é nesse tipo de segmento que o investimento público precisa entrar”, explicou o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Júlio, presente no lançamento.

 Para a vice-governadora Luciana Santos, é importante destacar as ações que possa promover a equidade de gênero. "Há um estímulo fiscal de pontuação para que objetivamente promova, estimule a participação feminina nos arranjos produtivos locais. E a grande novidade do dia de hoje, além de ampliar para panificação, para a agroecologia, o orgânico, para derivados cana de açúcar, não poderia ter um presente maior para o mês que a gente comemora a Consciência Negra que não seja uma específica política para o território quilombola", declarou. 

Também participaram do lançamento a vice-governadora Luciana Santos; os secretários estaduais Ana Elisa Sobreira (Mulher), José Bertotti (Meio Ambiente e Sustentabilidade) e Tomé Franca (Desenvolvimento Urbano e Habitação); os deputados estaduais Simone Santana, Aluísio Lessa e Roberta Arraes; o secretário executivo da Casa Civil, José Maurício; o presidente da Adepe, Roberto Abreu; o presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), José Patriota; a diretora técnica do Sebrae, Adriana Corte Real; o diretor geral de Fomento, Inovações e Arranjos Produtivos da Adepe, João Suassuna; além dos prefeitos Uilas Leal (Alagoinha) e Josimara Cavalcanti (Dormentes).

 

Comentários

Últimas notícias