Negócios

Em ano de pandemia, atração de investimentos em Pernambuco foi discreta, somando R$ 670 milhões

Última reunião do Conselho Estadual de Políticas Industrial, Comercial e de Serviços (Condic) nesta quinta-feira (23) aprovou R$ 235,5 milhões em investimentos e projeta a geração de 968 empregos

Adriana Guarda
Adriana Guarda
Publicado em 23/12/2021 às 17:44
NOVIDADE Raymundo da Fonte vai investir na produção de sabão em pó FOTO:
Leitura:

Em 2021, apesar da vacinação, a atração de investimentos em Pernambuco aconteceu em ritmo lento, ainda sob efeito da pandemia da covid-19 no Brasil. O desempenho acompanha a velocidade da recuperação da economia, que ainda não decolou. De acordo com balanço divulgado nesta quinta-feira (23) pela Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (Adepe), as quatro reuniões do Conselho Estadual de Políticas Industrial, Comercial e de Serviços (Condic) realizadas ao longo do ano, somaram investimneto de R$ 669,2 milhões.  

A 117ª e última reunião do Condic do ano foi realizada nesta quinta, aprovando R$ 237,5 milhões em investimentos e projetando a geração de 968 empregos. Apesar de ainda manter m ritmo fraco em relação a outros anos, quando a atração chegava a casa dos bilhões, 2021 foi um ano de recuperação, se comparado a 2020, quando a pandemia teve seu pico e a vacina contra a covid-19 ainda não estava disponível. O ano passado, aliás, marcou o pior desempenho na captação de investimentos no Estado desde 2014. O total foi de R$ 489 milhões e 1.915 vagas previstas. 

Para se ter uma ideia da mudança de cenário em Pernambuco, em 2014 a atração de investimentos alcançou R$ 1,4 bilhão e a geração de empregos prevista foi de 10.946. E nem se tratava do melhor ano para o Estado, porque grandes projetos, a exemplo da Refinaria Abreu e Lima, no Complexo de Suape, já iniciava o processo de desmobilização da obra.

De acordo com a Adepe, o Estado aprovou, em 2021, 210 projetos privados, envolvendo 669,2 milhões em investimentos e geração de quase 4 mil postos de trabalho. Entre as quatro reuniões realizadas em 2021, a 117ª reunião apresentou o maior volume de investimentos (R$ 237,5 milhões) e o segundo maior em previsão empregos (968).

Nesta última reunião do Condic, foram anunciados 66 projetos, sendo 47 pelo Programa de Desenvolvimento de Pernambuco (Prodepe) e 19 pelo Programa de Estímulo à Indústria do Estado de Pernambuco (Proind). Os projetos anunciados pelo Prodepe, relativos à expansão ou implantação de indústrias, centrais de distribuição e importadores atacadistas somam investimentos de R$ 205 milhões e geração de 549 empregos. As empresas envolvidas receberão incentivos fiscais na ordem de R$ 74,5 milhões. Pelo Proind foram anunciados 19 projetos envolvendo investimentos de quase R$ 33 milhões e geração de mais de 400 postos de trabalho.

Sabão em pó da Raymundo da Fonte

Um dos destaques da última reunião do Condic foi aprovação de incentivos fiscais para um investimento de R$ 122 milhões para a Raymundo da Fonte. Tradicional do parque industrial do Estado, a empresa de produtos de limpeza e higiene, vai incluir sabão em pó na sua linha de produtos. A expectativa é que o novo item gere 84 novos postos de trabalho.   

Apesar do resultado, o secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Geraldo Julio, demonstrou confiança no crescimento da economia do Estado para o próximo ano. “O papel da Secretaria de Desenvolvimento Econômico é articular e viabilizar importantes projetos para Pernambuco. Apesar de mais um ano difícil por conta da pandemia, o Prodepe e o Proind trouxeram resultados animadores. Sem dúvida nenhuma, mesmo com tantos desafios, este ano ratificou o crescimento econômico do Estado, com números expressivos na geração de empregos e investimentos na indústria. Tenho certeza que, em 2022, a nossa economia vai crescer ainda mais. Por isso, Pernambuco está de parabéns”, afirma.

Já o presidente da Adepe, Roberto Abreu e Lima, comemorou os resultados expressivos da RMR e no interior do Estado, apesar do período desafiador. No ano, 35% dos 210 projetos aprovados no Condic têm como destino o interior. Do total de R$ 669,2 milhões em investimentos aprovados em 2021, 41% correspondem a aportes destinados para o interior de Pernambuco. Já em número de empregos, os dados revelam equilíbrio entre RMR e interior. Dos 3977 empregos projetados, 46% das vagas estão no interior.

"Estes números são muito significativos. Levar o máximo de oportunidades de investimentos para todo o Estado é essencial. Os resultados de 2021 mostraram que, apesar das adversidades, o governo de Pernambuco continua trabalhando para estimular o desenvolvimento econômico e promover o bem-estar do cidadão, com políticas que estimulam a geração de emprego e renda.", comemora Roberto.

Prodepe

Do total de projetos do Programa aprovados na reunião da terça, 24 são industriais, 11 são de importações e 12 de centros de distribuição. No recorte dos projetos industriais, doze ficarão na RMR, e a outra metade no interior do estado. Juntos, estes projetos representam investimentos de R$ 204,8 milhões, sendo R$ 163,6 milhões na RMR e R$ 41,2 milhões no interior. Um total de 549 empregos serão gerados nas futuras operações, sendo 295 na RMR e 254 no interior. Os setores são plásticos, produtos químicos, minerais não metálicos, agroindústria, papéis, plásticos, bebidas, farmacoquímica, pláticos e  metalmecânica.

Proind

Entre os 19 anunciados Proind nesta 117ª reunião, 6 ficam no interior do estado, contemplando as cidades de: Caruaru, Custódia, Garanhuns, Serra Talhada, Tacaimbó e Vitória de Santo Antão. Os demais estão na RMR. Entre os projetos aprovados, o destaque vai para a Kulma Indústria e Comércio de Embalagens Ltda, de Jaboatão dos Guararapes, que apresentou um investimento previsto de R$ 10 milhões e geração de 60 novos postos de trabalho.

Comentários

Últimas notícias