CORONAVÍRUS

Primeiro caso de covid-19 detectado na Vila Olímpica de Tóquio

Os Jogos de Tóquio foram adiados em um ano por causa da pandemia e serão realizados de 23 de julho a 8 de agosto

AFP
AFP
Publicado em 17/07/2021 às 11:39
Notícia
PHILIP FONG / AFP
Tocha dos Jogos Olímpicos de Tóquio - FOTO: PHILIP FONG / AFP
Leitura:

Os Jogos Olímpicos de Tóquio registraram o primeiro caso de covid-19 na Vila Olímpica, a uma semana de sua inauguração, informaram neste sábado (17) os organizadores, que se mostraram tranquilos em relação à eficácia das drásticas medidas aplicadas para cortar qualquer transmissão do vírus.

"Há uma pessoa dentro da Vila. É o primeiro caso registrado dentro da Vila e foi detectado em sua chegada", disse Masa Takaya, porta-voz do comitê organizador dos Jogos, em coletiva de imprensa, sem especificar se é um atleta ou treinador, ou a delegação à qual pertence.

Seu caso eleva para 15 o número de pessoas que deram positivo entre os 15.000 atletas, delegações olímpicas e jornalistas que chegaram no Japão desde 1º de julho, uma "taxa muito baixa" de 0,1%, ressaltou Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI).

De acordo com a imprensa japonesa, o infectado seria um estrangeiro, sem oferecer mais detalhes.

REGRAS RÍGIDAS

Os Jogos de Tóquio foram adiados em um ano por causa da pandemia e serão realizados de 23 de julho a 8 de agosto. Os organizadores impuseram rígidas medidas sanitárias para que o evento mundial pudesse acontecer.

"Esta pessoa deu positivo no teste da Vila. Não sabemos se estava vacinada ou não", declarou o diretor-geral de Tóquio-2020, Toshiro Muto. "Na Vila, haverá severas medidas anticovid: os atletas terão que fazer um teste diário e, se algum der positivo, será colocado em isolamento imediato", explicou.

"A confiança é construída com rigor", disse Christophe Dubi, diretor dos Jogos no COI, reiterando que o controle aos participantes nos Jogos começou "quatorze dias" antes de sua chegada ao Japão.

A menos de uma semana da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, na próxima sexta-feira, a capital japonesa não tem o ânimo para realizar uma contagem regressiva, depois que foi estabelecido um novo estado de emergência sanitária na segunda-feira passada e que vai durar até 22 de agosto.

Quase todas as competições dos Jogos serão realizadas a portas fechadas e as dezenas de milhares de participantes - entre atletas, trabalhadores e jornalistas estrangeiros - serão submetidos a restrições drásticas devido ao risco sanitário.

 

"Estamos fazendo todo o possível para prevenir surtos de covid-19. Se comprovarmos que há contágios, temos um plano para responder", afirmou Seiko Hashimoto, a presidente do comitê organizador.

"Os atletas que vêm para o Japão provavelmente estão muito preocupados. Essa é a razão pela qual devemos dar exemplos de uma total transparência", prometeu.

"Devemos preparar tudo cuidadosamente e garantir que todos seguimos os procedimentos", acrescentou.

Essas medidas contra a covid, no entanto, são insuficientes para tranquilizar a população japonesa, enquanto Tóquio registra 1.410 casos de covid-19 neste sábado, um recorde de casos diários desde janeiro.

Na sexta-feira, Bach se mostrou convencido de que esses Jogos "comprovariam que podem ser realizados com toda segurança, mesmo em plena pandemia".

As medidas contra a covid "não só estão instauradas. Elas funcionam", afirmou.

th-cfe-gj-fbr/av/mas-gh/aa

Últimas notícias