OLIMPÍADA

Abner Teixeira derrota jordaniano e garante, pelo menos, o bronze no boxe dos Jogos de Tóquio

No boxe, não há disputa de bronze, pois os dois derrotados na semifinal sobem no pódio

Marcos Leandro
Cadastrado por
Marcos Leandro
Publicado em 30/07/2021 às 9:37 | Atualizado em 30/07/2021 às 11:59
BUDA MENDES / AFP
PÓDIO Abner Teixeira (de azul) vai disputar semifinal nesta terça-feira - FOTO: BUDA MENDES / AFP
Leitura:

Em um duelo sensacional, o boxeador Abner Teixeira derrotou o jordaniano Hussein Iashaish, nesta sexta-feira, nas quartas de final, por e garantiu a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio. No boxe, não há disputa de bronze, pois os dois derrotados na semifinal sobem no pódio. A decisão dos jurados foi dividida: quatro a favor do brasileiro (29 a 28 - três vezes - e 30 a 27) e um deu para o rival (29 a 28).

Veja lista atualizada dos brasileiros que ganharam medalha nas Olimpíadas de Tóquio 2020

Horários Olimpíadas 2020: veja as partidas e disputas desta sexta (30)

O adversário do brasileiro na luta pela vaga na final olímpica, terça-feira, será o cubano Julio La Cruz, que eliminou o espanhol Enmanuel Reyes.

Esta é a sexta medalha do boxe brasileiro em olimpíadas. Servílio de Oliveira foi bronze no México-1968, depois Esquiva Falcão, Yamaguchi Falcão e Adriana Araújo subiram no pódio em Londres-2012. Robson Conceição foi campeão na Rio-2016.

Bia Ferreira vence no boxe feminino e avança às quartas de final em Tóquio

Internet se rende à humildade do boxeador Keno Marley; Confira reações

O COMBATE

A luta foi espetacular. Violenta ao extremo, com os dois boxeadores chegando ao final dos três rounds con sangramentos. Iashaish começou com tudo e pressionou Abner por mais de um minuto, com todos os tipos de golpes. Surpreendido, o brasileiro procurou acertar uppers e ganchos.

No segundo assalto, Abner encontrou a distancia e, canhoto, acertou Bios diretos de esquerda que diminuíram o ímpeto do jordaniano, que apresentou cansaço. O último round foi sensacional com a troca de golpes impressionante, mas com Abner mais preciso.

"Foi uma guerra. Eu não esperava este ritmo desde o começo. Esperava que ele viesse morno e aumentasse o ritmo, mas eu consegui aplicar bons cruzados e ganchos. Ele não esperava que eu fosse resistir ao ritmo, cansou e aí eu pude ser o agressor. Vou estudar bem meu rival na semifinal e vem mais medalha para o Brasil."

Comentários

Últimas notícias