TÓQUIO

Pernambucana Carol Santiago ganha mais duas medalhas nos Jogos Paralímpicos

Na manhã desta terça (31), a nadadora conquistou o ouro nos 100m livre (classe S12 -para atletas com deficiência visual) e prata no revezamento 4x100 m misto 49 pontos.

Marcos Leandro
Marcos Leandro
Publicado em 31/08/2021 às 8:08
Alê Cabral/CPB
Tóquio: Carol Santiago fatura ouro e Gabriel Bandeira prata na natação - FOTO: Alê Cabral/CPB
Leitura:

Da Redação, com CPB

A pernambucana Maria Carolina Santiago segue arrebentando nos Jogos Paralímpicos de Tóquio. Na manhã desta terça (31), a nadadora conquistou mais duas medalhas. Ela foi ouro nos 100m livre (classe S12 -para atletas com deficiência visual) e prata no revezamento 4x100 m misto 49 pontos.

Com a vitória de Carol Santiago, o Brasil chegou a 14 medalhas de ouro em Tóquio, igualando a marca obtida no Rio de Janeiro e ficando a sete de igualar o recorde que foi estabelecido em Londres (21 medalhas douradas).

Carol, que já havia conquistado o bronze nos 100m costas e o ouro nos 50m livre, ganhou os 100m livre com o tempo de 59s01, seguida por Daria Pikalova, do Comitê Paralímpico Russo (59s13) e pela britânica Hannah Russel (1min00s25). Outra brasileira presente na prova, Lucilene Souza fechou a final em sexto lugar (1min02s42).

Já no revezamento 4x100 m misto 49 pontos, a prata veio com muita raça. O Brasil disputou a prova com Wendel Belarmino, Douglas Matera, Lucilene Sousa e Carol Santiago. A pernambucana foi a última a pular na piscina e segurou o segundo lugar, mesmo competindo com os atletas do comitê russo e da Ucrânia, que optaram por fechar a prova com dois homens. 

O Comitê Russo ficou com o ouro, com 3min53s79. O Brasil cravou 3min54s95. A Ucrânia ficou com o bronze, com 3min55s15. 

Carol Santiago nasceu com síndrome de Morning Glory, alteração congênita na retina que reduz seu campo de visão. Praticou natação convencional até o fim de 2018, quando migrou para o esporte paralímpico. Na seletiva brasileira de natação, em junho, Carol bateu o recorde mundial dos 50m livre.

TODOS OS OUROS

Além das duas medalhas douradas de Carol, o Brasil subiu ao lugar mais alto do pódio no Japão com: Beth Gomes (lançamento de disco classe F52), Claudiney Batista (lançamento de disco na classe F56), Alana Maldonado (judô na categoria até 70kg), Mariana D'Andrea (halterofilismo na categoria até 73kg), Gabriel Bandeira (100m borboleta na classe S14), Gabriel Geraldo (200m livre na classe S2), Wendell Belarmino (50m na classe S11), Silvânia Costa (salto em distância na classe T11), Petrucio Ferreira (100m rasos na classe T47), Yeltsin Jacques (1.500m e 5.000m da classe T11) e Wallace dos Santos (arremesso de peso pela classe F55).


Comentários

Últimas notícias