Ajustes

Técnico do Náutico avalia retorno do futebol em Pernambuco

Treinador afirmou que o Alvirrubro precisará se organizar para acertar os encaixes de acordo com o planejamento da FPF e organizações de saúde

Klisman Gama
Klisman Gama
Publicado em 01/06/2020 às 19:11
Notícia
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
O comandante do Náutico deu a sua visão sobre o retorno do futebol no estado - FOTO: FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

O Náutico se prepara para o retorno do futebol durante a pandemia do novo coronavírus. O Governo do Estado começa a flexibilizar as normas de isolamento e o futebol deve ser abarcado nesta situação. A Federação Pernambucana de Futebol já enviou um protocolo de retorno à Secretaria de Saúde de Pernambuco e aguarda uma resposta sobre o planejamento, que prevê retorno dos clubes aos trabalhos no dia 15 de junho. O Timbu vai se organizando internamente com a compra de materiais e também espera o aval. Outro ponto que o clube já tem em mente é que terá de se adaptar às normas. Não o contrário. 

"Na verdade, nós temos que nos adaptar ao protocolo. Já tivemos 50 dias de preparação neste ano e agora é totalmente diferente. Vai ter um protocolo e temos que segui-lo. Internamente imaginamos vários cenários, mas não colocamos em prática porque temos que seguir o protocolo", comentou o técnico Gilmar Dal Pozzo, em entrevista à Live do Torcedor, no perfil do Instagram do Blog do Torcedor.

O treinador alvirrubro também avaliou que o cenário de adaptação não é o esperado para o Náutico por limitar a maneira que os treinamentos serão realizados, ainda longe do que é padrão para o futebol. Porém, reforçou que, se é a maneira que está sendo feito, o Timbu tem que seguir.

"Não adianta a gente fazer um planejamento da primeira semana e já fazer um trabalho com bola, tático, sendo que o protocolo não permite aglomeração. Temos que seguir esse protocolo e nos adaptar ao que vai ser recomendado para nós. Se é o ideal ou não, teremos que nos adaptar e as condições do clube também. E se tivermos a possibilidade de ficar uma ou duas semanas fechados no CT e treinar direto? Estamos nos preparando e esperando e ver o que virá do protocolo e pessoas responsáveis da área de saúde", concluiu Dal Pozzo.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias