Nordestão

Após longa espera, Náutico mira decisão contra o Bahia pela Copa do Nordeste

Alvirrubro tem 11 pontos e ocupa a terceira posição no Grupo B. Para garantir a passagem ao mata-mata, a equipe precisa vencer o Bahia para não depender de outros resultados

Klisman Gama
Klisman Gama
Publicado em 12/07/2020 às 9:28
Notícia
Caio Falcão/CNC
O Náutico encara o Bahia no estádio Pituaçu no dia 22, às 20h, para tentar garantir a sua classificação - FOTO: Caio Falcão/CNC
Leitura:

 

No dia 22, depois de quatro meses de espera, o torcedor do Náutico poderá ver a equipe de volta à Copa do Nordeste. Em caráter decisivo, que decretará o avanço ou não de fase do Timbu na competição, o confronto contra o Bahia traz todo o peso que a partida merece ter. Foi pouco mais de um mês de preparação para este retorno do futebol. Talvez, caso algum dos tropeços do Alvirrubro em casa tivesse trazido um resultado positivo, a situação poderia ser mais cômoda. Contudo, fica no campo da suposição. Na terceira colocação do Grupo B, com 11 pontos, uma vitória garante de vez o time da Rosa e Silva nas quartas de final. Caso empate, precisará 'secar' Ceará e Santa Cruz para garantir uma vaga entre os quatro melhores. Uma derrota mantém o mesmo cenário do empate mas, obviamente, o torcedor almeja os três pontos.

Nesta primeira fase da Copa do Nordeste, o Náutico teve atuações para lembrar e outras para esquecer. As positivas, sem dúvida, são as vitórias contra o Sport, por 2x0, nos Aflitos, e CRB, por 3x2, no Rei Pelé. O Clássico dos Clássicos aconteceu no melhor momento do Alvirrubro no ano. Teve uma boa atuação, comandou o jogo de ponta a ponta e mereceu o resultado. Contra o time alagoano, a valentia para buscar a virada com gol aos 46 minutos do segundo tempo coroou uma vitória a ser rememorada. As decepções também aconteceram, principalmente nos empates em casa contra River-PI e ABC, onde o Alvirrubro, amplamente favorito, jogou mal e tropeçou diante da sua torcida.

Volta e sede única

A decisão do reinício do Nordestão para o dia 21 - com o Náutico jogando no dia 22, às 20h, no estádio Pituaçu -, foi bastante comemorada pela direção. Principalmente porque auxilia na preparação do clube para as partidas. "Termos o dia 21 para o reinício da Copa do Nordeste dá um norte muito grande não só para a parte técnica, mas para a parte física também. Você sabe o quanto pode forçar com os atletas, evoluir, poupar, e que tenha um trabalho desenvolvido para ter a melhor condição possível física, técnica e tática nessa data que está prevista o reinício", avaliou o vice-presidente de futebol alvirrubro, Diógenes Braga.

Além das questões sanitárias e políticas, o plano de retomada do futebol previamente apresentado por Salvador fez com que a capital baiana recebesse a reta final da Copa do Nordeste. A escolha da sede única, apesar da lamentação por não ter sido o Recife, é comemorada pela direção alvirrubra, que vê a segurança de todos os envolvidos como o fator primordial para que esta medida fosse tomada, juntamente com a diminuição do desgaste de viagens entre os estados conforme a competição prosseguisse.

"Eu queria muito que tivesse sido aqui em Recife. A gente estaria no nosso habitat, seguiríamos treinando no nosso ambiente mas, infelizmente, foi para Salvador. Mas a escolha foi bem pensada. É uma forma muito segura de todo mundo estar na mesma cidade, por terem os testes garantidos e evitar o deslocamento. Se a gente tivesse que ir pra Salvador de avião, classificar, voltar de avião, depois ter que pegar outro avião para jogar, por exemplo, com o Ceará em Fortaleza e depois voltar para cá. Para mim, o risco seria muito maior. Mas dentro da possibilidade e do risco que a gente está passando da pandemia, acho que foi muito bem pensado e espero que seja muito bem organizado", pontuou o executivo de futebol alvirrubro, Ítalo Rodrigues.

Sem torcida adversária

Uma outra questão que pode ser utilizada a favor do Náutico diante do Bahia é a ausência de público. O Tricolor baiano tem um bom aproveitamento em casa no Nordestão, com duas vitórias e uma derrota, ocorrida no clássico contra o Vitória. Sem o peso do torcedor do Esquadrão, as forças se equilibram um pouco mais. Ainda assim, o foco alvirrubro é de conquistar os três pontos.

"Acho que não vai interferir em muita coisa, mas creio que vai ajudar muito pelo fato deles terem uma torcida muito grande lá e o estádio não vai ter ninguém. Acho que isso ajuda muito no jogo também pelo fato da torcida estar apoiando o tempo todo lá, mas isso a gente não vai botar na mente. Temos que ganhar o jogo, buscar o resultado porque estamos precisando dele para nos classificar. A gente vai para lá com esse objetivo, de ganhar o jogo, nos classificar e ficar lá até o final do campeonato", arrematou o atacante Erick.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias