FINANÇAS

Mesmo com dificuldade financeira, Santa Cruz busca honrar compromissos com atletas e funcionários

Tricolor do Arruda está com parte da folha salarial do mês de março em aberto, além do mês de abril

Filipe Farias
Filipe Farias
Publicado em 12/05/2020 às 16:10
Notícia
Foto: Rodrigo Baltar/Santa Cruz
Nei Pandolfo, executivo de futebol do Santa Cruz, explica planejamento para o restante do ano - FOTO: Foto: Rodrigo Baltar/Santa Cruz
Leitura:

Assim como os demais clubes brasileiros, o Santa Cruz vem enfrentando dificuldades para manter as contas em dia em meio à pandemia do novo coronavírus. Com a paralisação do futebol, o Tricolor do Arruda viu algumas receitas fixas (bilheteria, renda dos bares, patrocínios e sócios) reduzirem drasticamente e, consequentemente, acabar interferindo no pagamento dos salários de atletas e funcionários.

Antes de os campeonatos serem interrompidos, no dia 15 de março (quando o Santa Cruz já enfrentou o Decisão, pela 8ª rodada do Campeonato Pernambucano, com os portões fechados), a direção coral devia naquele momento apenas a folha do mês de fevereiro. De lá pra cá, de acordo com apuração da reportagem nos bastidores, o Tricolor conseguiu pagar o segundo mês do ano; mas, atualmente, acumula os vencimentos de parte de março, além do mês de abril - o pagamento referente a carteira venceu no dia 10 e os direitos de imagem vencem no próximo dia 15.

Com relação aos funcionários, a situação é semelhante. Com o clube conseguindo pagar os salários dos profissionais do administrativo (cerca de 27) com a ajuda das vendas das máscaras personalizadas com o escudo do time, e quitando integralmente a folha de fevereiro e parte de março... Deixando em aberto parte do mês três e a folha de abril. De acordo com informação obtida pela reportagem do Jornal do Commercio, o mês de março (tanto para atletas, como para funcionários) será pago o valor cheio. Já o mês de abril será pago apenas o percentual que foi acordado com cada um, dentro do que diz a Medida Provisória 936 para esse período de pandemia - com o Governo Federal complementando o restante ou parte do valor para aqueles que recebem acima do teto estipulado na MP.

 

 

ENTREVISTA

Em entrevista ao programa Fórum Esportivo, da Rádio Jornal, o executivo de futebol do Santa Cruz, Nei Pandolfo, ressaltou o esforço que a diretoria coral vem fazendo para quitar os débitos e manter a saúde financeira no clube. "O Santa Cruz está hoje equilibrado (financeiramente) Estamos correndo para fazer o pagamento do mês vigente. Fizemos o acordo com os atletas de uma redução e utilizamos a PEC do Governo (MP 936) para também dar apoio a todos os funcionários e atletas. Estamos acompanhando as notícias e buscando manter todos com suas situações atualizadas, mas não é fácil manter um elenco e pagar em dia mesmo estando há quase três meses sem jogar (na verdade, o Santa ainda vai completar 60 dias de inatividade)", declarou o dirigente tricolor.

A reportagem do JC tentou contato com Fred Dias, diretor de futebol e representante jurídico do Santa Cruz, para saber a respeito de receitas do clube bloqueadas na Justiça e que, se desbloqueadas, poderiam trazer um alívio financeiro, além de parcelas em aberto das negociações envolvendo o lateral-direito Warley (50% dos direitos econômicos para o Botafogo) e do zagueiro João Victor (negociado 50% dos direitos econômicos para o Vitória), mas não obteve sucesso nas investidas.

CBF

Vale lembrar que o Santa Cruz, assim como os demais clubes que vão disputar a Série C do Brasileiro receberam, no mês passado, uma quantia financeira da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) de R$ 200 mil para ajudar no pagamento das contas nesse período de paralisação do futebol em meio à pandemia do novo coronavírus.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias