AVALIAÇÃO

Itamar Schulle elogia atletas do Santa Cruz e mira final: 'trabalhar com humildade em busca do título'

Treinador coral ficou satisfeito com a apresentação do time na vitória diante do Náutico e vai em busca do título Pernambucano

Filipe Farias
Filipe Farias
Publicado em 30/07/2020 às 8:03
Notícia

ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Semi final do campeonato pernambucano de futebol. jogo entre Santa Cruz x Náutico, na Arena de Pernambuco. - FOTO: ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Leitura:

A cada desafio que lhe é imposto, o Santa Cruz vem mostrando uma maturidade em campo para entender o jogo e superar os adversários. No duelo contra o Náutico, na quarta-feira (29), pela semifinal do Pernambucano, o time tricolor não se afobou com a forma reativa de os alvirrubros atuarem durante o primeiro tempo e, quando pressionado, não cedeu espaços para as investidas do Timbu. Equilíbrio que, por sinal, vem mostrando ao longo de toda a temporada. E, agora, a Cobra Coral chega a sua primeira final no ano. Mais um obstáculo pela frente - aguarda pelo vencedor de Salgueiro e Afogados, que jogam nesta quinta-feira (30), no estádio Cornélio de Barros.

"No País, o Santa Cruz é a equipe que tem uma das defesas menos vazadas (sofreu 11 gols em 21 jogos). Os adversários tem dificuldade contra nós. Hoje (quarta) pegamos um time bem organizado por Gilmar Dal Pozzo, com qualidade e que vai disputar e fazer uma grande Série B. Jogadores com qualidade e com um grande treinador. Sei da capacidade do Gilmar de organizar o time dele... Você não encontra espaço toda hora para explorar. Ele (Dal Pozzo) foi inteligente e deixou a bola com a gente para nós rifarmos. Mas saíamos com três, mesmo com eles compactando bem por dentro. Sempre que Paulinho recebia a bola, faziam pressão nele para não criarmos. Deixamos só o Pipico lá na frente para não perdermos o meio... E tudo isso foi treinado. Os jogadores estavam habituados. Foi um grande jogo, todos estão de parabéns. Estamos em crescimento, em evolução e temos coisas a melhorar. Ganhamos o direito de irmos para a final, agora é trabalhar com humildade, continuar nos dedicando muito para evoluirmos e irmos em busca desse título que a gente almeja", comentou Itamar Schulle.

Apesar de todo o imbróglio no extra campo, para saber se o Clássico das Emoções seria realizado no Arruda ou na Arena de Pernambuco, o comandante coral garantiu que não utilizou o fato de o Tricolor ter perdido o mando de campo para motivar os atletas. "Confesso que não houve motivação por tirar o jogo de um lugar e colocar em outro. Deixei a diretoria resolver. O presidente perguntou a minha opinião porque poderia tomar uma atitude no tribunal. Disse a ele que aonde fôssemos jogar iríamos entrar para vencer. Não importaria o campo. Falei isso para ele que não importaria jogar aqui (Arena) ou no Arruda. Pra mim, não interferiu. Não teve motivação a mais. A nosso motivação estava no jogo, na concentração dos atletas e não nos detalhes de trocar o campo do jogo", declarou Schulle. "Também me passaram pelo WhatsApp um vídeo da faixa que alguém do Náutico colocou (na sede do Arruda) que eles venceram tal e tal ano. Não vivemos no passado. O hoje já será ontem. Não uso dessas coisas para motivar. Então o meu trabalho não vale de nada? Tenho de motivar o meu atleta no dia a dia. Ter de motivar a crescer e melhorar, não usar isso para motivar os atletas. Acho pequeno e não trabalho assim. Tenho outra mentalidade para trabalhar e os atletas têm entendido bem", contou.

PARTE FÍSICA

Sobre a condição física dos jogadores, Itamar está satisfeito com o rendimento do elenco após a paralisação de mais de 120 dias por conta da pandemia do novo coronavírus. "Tenho de ressaltar o trabalho do Carlos Gamarra (preparador físico) e de toda a comissão técnica. Junto com todos, estão fazendo um excelente trabalho com os atletas, que estão determinados, correspondem ao trabalho e não deixam de fazer as atividades, até quando estavam parados. Jogamos partidas em intensidade alta e de caráter decisivo nessa volta do futebol. Tínhamos de vencer o River-PI. Logo depois veio o Confiança, jogo dificílimo; jogo difícil que tivemos diante do Sport, com boa equipe. E hoje (quarta) mais um jogo difícil, decisão contra o Náutico, e mantivemos uma intensidade boa. O grupo inteiro está de parabéns. Gamarra está de parabéns por isso, pois ajuda bastante no crescimento tático da equipe", avaliou o treinador.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias