Bronca

CNRD também proíbe Sport de regularizar novos jogadores na CBF

Leão sofreu a mesma punição da Fifa na semana passada

Davi Saboya
Davi Saboya
Publicado em 09/03/2021 às 1:32
Notícia
DIVULGAÇÃO/SPORT
Uma das dívidas que levaram o Sport a ser punido é com o ex-goleiro Agenor - FOTO: DIVULGAÇÃO/SPORT
Leitura:

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) também proibiu o Sport de regularizar novos jogadores nesta temporada. Por causa dos débitos com os ex-jogadores Agenor, Marquinhos e Leandro Pereira, o clube rubro-negro recebeu a sanção da Câmara Nacional de Resolução e Disputa (CNRD), órgão da entidade máxima do futebol no Brasil. A informação foi confirmada pelo vice-presidente jurídico do Leão, Manoel Veloso, no fim da noite dessa segunda-feira, em entrevista ao Jornal do Commercio e Blog do Torcedor. Ainda segundo o dirigente, a dívida total com os três atletas que passaram pelo time leonino gira em torno de pouco mais de R$ 1 milhão.

LEIA MAIS

Sport acerta com Toró e fica perto de anunciar Nicolas

Eleições do Sport: advogado entra com pedido de impugnação da candidatura de Nelo Campos

Conheça mais sobre a Juazeirense, que enfrenta o Sport na primeira fase da Copa do Brasil

Diante da Juazeirense, Sport busca apagar vexames recentes na Copa do Brasil

Thiago Neves testa positivo para covid-19 e desfalca Sport

Milton Bivar explica compra do Sport de parte dos direitos econômicos de Dalberto

Vale lembrar que no começo da semana passada o Sport sofreu a mesma punição, porém, aplicada pela Fifa. Isso porque o Sporting, de Portugal, entrou com uma ação na gestora mundial do futebol cobrando o não pagamento da compra do atacante André em 2017. Condenado, o Leão precisa pagar cerca de R$ 6 milhões ao clube português. Dívida essa que, segundo apurou a reportagem, o time pernambucano deve começar a pagar até sexta-feira com parte do valor de premiação que vai receber por ter conseguido ficar na Série A do Campeonato Brasileiro.

Nenhuma descrição disponível.

Em 2020, o Sport sofreu dois bloqueios do mesmo tipo. O primeiro por causa de uma dívida com o meia Mark González e o segundo devido ao débito com o Oleiros, de Portugal, em torno do também meia Diego Felipe. A diferença entre esses dois processos é que o caso de Mark também estava correndo na Câmara Nacional de Resolução e Disputa (CNRD) e o impasse com o Oleiros, assim como a dívida com o Sporting, na Fifa. Mas, em ambos, o Leão ficou impossibilitado de regularizar atletas.

CASO ANDRÉ

Na gestão do ex-presidente Arnaldo Barros, em 2017, o Sport acertou a compra de 50% dos direitos econômicos do atacante André. Na época, o Sporting divulgou que a negociação foi feita pelo valor de R$ 4 milhões. No entanto, o clube da Europa alega que não recebeu nenhum pagamento do clube pernambucano, até mesmo depois que o Leão vendeu o jogador ao Grêmio pelo valor total de cerca de R$ 10 milhões no ano seguinte. Dessa maneira, o time europeu ganhou a ação na Fifa, em janeiro de 2020, no valor de 907.500 euros.

De 2019 até agora, os dirigentes rubro-negros já tentaram negociar o débito de diversas maneiras. Inclusive, envolvendo os direitos econômicos de pratas da casa como o goleiro Mailson, o zagueiro Adryelson e o atacante Juninho, que já não pertence mais ao Sport. Mas os portugueses estão irredutíveis em relação ao pagamento à vista.

AGENOR, MARQUINHOS E LEANDRO PEREIRA

O goleiro Agenor esteve no Sport durante três temporadas, mas não chegou a participar de muitos jogos. Somando os anos de 2016, 2017 e 2018, quando saiu do Leão para acertar com o Guarani, foram 13 jogos com a camisa rubro-negra. Já o atacante Marquinhos jogou 20 partidas pelo clube pernambucano na reta final do ano de 2017 e balançou a rede apenas uma vez. Ainda chegou a retornar ao Sport em 2019, só que não conseguiu entrar em campo por causa de problemas clínicos. Terceiro envolvido, o também atacante Leandro Pereira foi quem mais defendeu o Leão. Em duas temporadas, 2017 e início de 2018, participou de 28 duelos e marcou seis gols.

Nenhuma descrição disponível.

Comentários

Últimas notícias