COLUNA DO ESTADÃO

CPI da Covid já muda projeções de cenários para eleições de 2022

A preço de hoje, a CPI da Covid deverá ter impacto imobilizador no governo se escancarar erros e omissões no combate à pandemia, avaliam os políticos mais rodados de Brasília

ALBERTO BOMBIG
ALBERTO BOMBIG
Publicado em 02/05/2021 às 7:18
Notícia
ALAN SANTOS/PR
Os que consideram a gestão de Bolsonaro como regular ficaram em 26% - FOTO: ALAN SANTOS/PR
Leitura:

A preço de hoje, a CPI da Covid deverá ter impacto imobilizador no governo se escancarar erros e omissões no combate à pandemia, avaliam os políticos mais rodados de Brasília. Em um cenário de inflação crescente e postos de trabalho fechados, vai se consolidando o sentimento de que Jair Bolsonaro pode enfrentar dificuldades de chegar ao segundo turno em 2022, algo inimaginável até bem pouco tempo atrás. No centro partidário, presidenciáveis já se movimentam com base nesse novo cenário, o de enfrentar Lula na fase decisiva da eleição. Um articulador de uma candidatura de centro diz que o governo é um avião perdendo altitude e sem motor para arremeter: gastou mal no passado e agora não tem "motor" para alavancar Bolsonaro. A definição de centro torna-se a cada dia mais elástica: Ciro Gomes (PDT), Luiz Henrique Mandetta (DEM), Luciano Huck (sem partido), João Doria (PSDB) e Eduardo Leite (PSDB). Aliás, o grupo de WhatsApp desses presidenciáveis já foi pro brejo. O governador Renato Casagrande (PSB-ES) passou a ser cotado como novo presidenciável. Uma das "leituras" na praça é a de que um "terceiro nome" não precisaria ser alguém popular. A terceira via pode ser construída pela baixa rejeição.

Entendeu? 

Flávia Arruda (foto) procurou Temer para pegar dicas de articulação política. Saiu do encontro com a missão de melhorar o diálogo com imprensa, líderes no Senado, Judiciário e TCU. O ex-presidente disse que a função da Secretaria do Governo é "facilitar" a vida do Executivo.

Amigo...

Bolsonaro é um aglutinador de força, só que às avessas: aproximou os senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Renan Calheiros (MDB-AL), na CPI da Covid.

 ...estou aqui

Vieira foi um dos principais adversários da tumultuada candidatura de Renan à presidência do Senado em 2019.

De volta

Aliás, o "renascimento" de Renan rendeu a ele apelido novo em Brasília: a Fênix das Alagoas.

Na...

Gilberto Valente está na bica para ser indicado pelo PGR Augusto Aras para chefiar as finanças do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

...mesa...

Procurador-geral de Justiça do Pará até o mês passado, Gilberto Valente é alvo de ação popular sob suspeita de ter estourado limite de gastos com pessoal e nomeado 12 assessores sem autorização.

...de Aras

A indicação para a área administrativa do CNMP não precisa de aprovação do Senado, como os conselheiros.

Xadrez

Valente seria mais um movimento de Aras para manter forte influência no CNMP. Com a ajuda do Senado, está parada na Casa há um ano a indicação de três representantes para o conselho. Com isso, a ala alinhada ao PGR tem maioria no colegiado.

Cala boca

Alegando censura, o deputado Ivan Valente (PSOL-SP) protocolou ação popular na Justiça contra a nota técnica da Controladoria-Geral da União que prevê punições a servidores que se manifestassem nas redes sociais contra o órgão a que estão subordinados.

 

Comentários

Últimas notícias