COLUNA DO ESTADÃO

Em busca do centro, PT tem cobertor curto para negociações à esquerda

Enquanto investe em alargar seus horizontes na centro-direita, o PT tem tido problemas nas negociações com potenciais aliados da esquerda

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 24/12/2021 às 7:00
BOBBY FABISAK/ACERVO JC IMAGEM
Segundo dados do Ipec, Lula tem 63% das intenções de votos no Nordeste - FOTO: BOBBY FABISAK/ACERVO JC IMAGEM
Leitura:

Enquanto investe em alargar seus horizontes na centro-direita, o PT tem tido problemas nas negociações com potenciais aliados da esquerda, ariscos em se associar ao petismo (ainda fortemente rejeitado) e historicamente ressabiados com o projeto hegemônico da sigla. Não são unanimidade, por exemplo, dentro do PSB, as conversas que sinalizam apoio dos socialistas a Lula sem contrapartidas claras; ou seja, o PT terá de abrir mão de lançar candidatos em alguns Estados. Em sentido inverso, os acenos petistas à centro-direita incomodam o PSOL, por exemplo, e viraram "cobertor curto": enquanto aposta num campo de apelo limitado às teses petistas, o partido compromete uma possível união da esquerda.

VAI OU NÃO?

Mesmo a quem já dá como certo o apoio do PSB a Lula, tem causado desconforto e gerado cobranças ao presidente da sigla a postura do PT, esquiva, nas negociações de, por exemplo, apoio a Beto Albuquerque no Rio Grande do Sul e o imbróglio envolvendo as possíveis candidaturas de Márcio França (PSB) ou Fernando Haddad (PT) em São Paulo.

VIU LÁ?

No PSOL, a vitória de Gabriel Boric no Chile tem sido citada como modelo. "Retorno ao Brasil muito contente por perceber que a tese que defendemos, de uma esquerda que não se alia a partidos de direita e não esconde suas posições, tenha saído vitoriosa no Chile", diz Juliano Medeiros.

FOLHINHA

A posse de Antônio Anastasia no TCU deve ser agendada para fevereiro. Ana Arraes designou Bruno Dantas para fazer o discurso de boas-vindas na solenidade.

COR DO PECADO

Um comunicado interno enviado a funcionários da Caixa orienta os servidores a "jamais usar vermelho" nas marcações internas das agências, questão de "excelência". Questionado, o banco informou que o motivo é que a cor azul é o padrão da Caixa, mas ressaltou que a orientação não partiu da matriz e sim de uma gerência regional.

COMPENSAÇÃO

Num período de evasão escolar recorde, provocada pela pandemia, o Pará lançou na semana passada um incentivo para que os alunos continuem a frequentar a sala de aula. Concluintes do ensino médio receberão R$ 500, pagos em uma parcela única.

TOMOU NOTA?

Para os estudantes das demais séries, o incentivo é de R$ 100 (também em parcela única). Terão direito ao benefício aqueles que frequentaram regularmente as escolas de modo presencial.

RETROSPECTIVA

A Coluna publica neste fim de ano uma retrospectiva com as melhores ilustrações dos presidenciáveis para 2022. Hoje é a vez de Simone Tebet, nome do MDB.

BALANÇA

Voz feminina na disputa até aqui, Tebet teve atuação firme na CPI da Covid, liderando a bancada de mulheres não representada entre a comissão. Antes de se decidir por concorrer ao Planalto, ela colocou na balança prós e contras: decidiu aceitar o desafio.

PRONTO, FALEI!

João Doria

Governador de São Paulo

"Não há patamar aceitável de óbitos para crianças, ministro Queiroga. Isso é crime. Vacinas salvam crianças e adultos. Salvam até os loucos negacionistas."

Comentários

Últimas notícias