missa de páscoa

Em missa de Páscoa sem fiéis, papa pediu solidariedade global

Devido ao coronavírus, missa deste domingo de Páscoa na Basílica de São Pedro, com a tradicional benção "Urbi et Orbi", aconteceu sem fiéis

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 12/04/2020 às 11:40
Notícia
REMO CASILLI/POOL/AFP
Papa Francisco celebra a missa de Páscoa neste domingo (12) com a Basílica de São Pedro, no Vaticano, com as portas fechadas - FOTO: REMO CASILLI/POOL/AFP
Leitura:

O papa Francisco celebrou neste domingo (12) a missa do Domingo de Páscoa, com a tradicional bênção "Urbi et Orbi", sem a presença de fiéis na Basílica de São Pedro. Francisco pediu solidariedade global no combate ao coronavírus e as consequências econômicas, instando ao relaxamento de sanções internacionais, alívio de dívidas para os países pobres e cessar-fogo em todos os conflitos.

» "O que importa não é a igreja vazia", diz Dom Fernando Saburido

O pontífice mais uma vez agradeceu aos médicos e enfermeiros, e a todos os profissionais que garantem os serviços essenciais necessários à convivência civil e pediu união para enfrentar a pandemia do novo coronavírus (covid-19), que já atingiu mais de 1,7 milhão de pessoas em todo o mundo.

» Primeiro-ministro britânico, Boris Jonhson, deixa hospital

Em um mundo "dominado pela pandemia, que está colocando nossa grande família à prova", o Papa pediu "o contágio da esperança" e direcionou o discurso aos "afetados diretamente pelo coronavírus, pelos doentes, pelos que morreram e pelas famílias"

» Recado reforçado para as grávidas: fiquem em casa

Ele também fez um apelo para que não faltem os bens de primeira necessidade aos que vivem nas periferias, aos refugiados e aos desabrigados. "Este não é tempo para egoísmos, pois o desafio que enfrentamos nos une a todos e não faz distinção de pessoas", diz Francisco. O pontífice não fez a tradicional homilia, sua mensagem aconteceu no momento da bênção "Urbi et Orbi".

» Uma coordenação nas ações de enfrentamento ao coronavírus evitaria sobrepoisções, diz pesquisadora da FGV

"Palavras como indiferença, egoísmo, divisão, esquecimento não são as que queremos ouvir neste tempo. Mais, queremos bani-las de todos os tempos! Essas palavras prevalecem quando em nós vencem o medo e a morte, isto é, quando não deixamos o Senhor Jesus vencer no nosso coração e na nossa vida. Ele, que já derrotou a morte abrindo-nos a senda da salvação eterna, dissipe as trevas da nossa pobre humanidade e introduza-nos no seu dia glorioso, que não conhece ocaso", concluiu antes de conceder a bênção Urbi et Orbi.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias