Negócios

Mike Tyson recupera fortuna vendendo maconha

O esportista revelou que fuma cerca de R$ 200 mil de maconha em um mês.

Douglas Hacknen
Douglas Hacknen
Publicado em 11/06/2020 às 19:35
Notícia
REPRODUÇÃO/INSTAGRAM
Mike Tyson se recupera de falência - FOTO: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM
Leitura:

Com 53 anos, o ex-pugilista Mike Tyson conseguiu se reerguer financeiramente menos de 20 anos após declarar falência, em 2003. O motivo: o esportista montou um empreendimento para comercializar maconha. Eben Britton, ex-jogador de futebol americano, é sócio de Tyson, e juntos, eles comandam um rancho de mais de 160 mil metros quadrados no estado da Califórnia, nos Estados Unidos. No rancho são cultivadas variedades de maconha. 

A comercialização e consumo da planta são liberados no estado desde 2018. O ex-pugilista revelou que costuma usufruir do próprio produto para fins recreativos. Além disso, Tyson afirmou que pretende abrir um resort, spas, pousadas dentro do seu rancho, onde seriam realizados festivais sobre maconha, além da "Universidade Tyson", com o intuito de ensinar o cultivo correto da erva.

Segundo a imprensa norte-americana, os lucros mensais do empreendimento chegam a US$ 500 mil, ou seja, quase R$ 3 milhões. Mesmo com esse valor, o ex-atleta informou em seu podcast que chega a fumar, durante o mês, o equivalente a R$ 200 mil. "Quando nós fumamos por mês? São US$ 40 mil (cerca de R$200 mil) por mês? Isso, são US$ 40 mil por mês", afirmou. "É um estilo de vida", completou.

Defendendo o uso, Tyson argumentou que a "cannabis é um remédio. Nesse momento da inteligência mundial, nesse momento da vida, deveriam saber que cannabis não é uma droga. Independentemente da punição que nos dão, não podemos parar de usá-lo. Não vamos parar", falou em uma entrevista à revista “Kind”.

O multicampeão dos pesos-pesados, tido como um dos boxeadores mais letais de todos os tempos, contou ainda que esteve lutando contra o uso durante quase 20 anos. "Eu estive lutando contra isso por 20 anos, e meu corpo tem muito desgaste. Eu tive duas cirurgias e usei a marijuana para acalmar meus nervos, e levou a dor embora. Mas, antes disso, eles me colocavam nesses opiáceos, e os opiáceos me prejudicavam muito."

A "Fox Sports" norte-americana informou que "Tyson Holistic", empresa principal do ex-pugilista, tem como objetivo principal promover o debate sobre as propriedades de cura da cannabis e do canabidiol. Tyson tem também uma subsidiária chamada "CHILL", que produz água alcalina com o canabidiol.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias