ELEIÇÕES

Facebook e Google estendem proibição de anúncios políticos contra desinformação

Medida foi tomada nos Estados Unidos por conta das denúncias de fraude feitas por Donald Trump

AFP
AFP
Publicado em 12/11/2020 às 14:47
Notícia
OLIVIER DOULIERY/AFP
A empresa tenta reavaliar o que vem acontecendo - FOTO: OLIVIER DOULIERY/AFP
Leitura:

Facebook e Google estenderam suas proibições de publicar anúncios políticos nos Estados Unidos em meio à desinformação que circula on-line para reforçar as denúncias de fraude feitas pelo presidente Donald Trump sobre sua derrota para Joe Biden.

O gerente de Produtos do Facebook, Rob Leathern, anunciou na quarta-feira à noite (11) que o gigante da mídia social manterá a proibição de difusão de anúncios eleitorais por um período não especificado, enquanto se aguarda a certificação oficial dos resultados da eleição presidencial em 3 de novembro.


"Estamos estendendo, temporariamente, uma série de medidas que implementamos para proteger o processo eleitoral", tuitou Leathern. "Todos no Facebook e no Instagram nos Estados Unidos continuam a ver as hashtags que estamos colocando nas postagens dos candidatos, dizendo que Biden é o vencedor projetado", completou.

O Google também estendeu sua proibição, de acordo com a imprensa americana.

Leathern reconheceu que a medida impedirá a publicação de anúncios eleitorais no Facebook para o segundo turno da eleição para o Senado que será realizado na Geórgia, essencial para determinar o equilíbrio do poder político nesta Casa.

"Sabemos que as pessoas estão decepcionadas", acrescentou. "Não temos capacidade técnica de curto prazo para ativar anúncios políticos por estado, ou anunciante, e também estamos comprometidos em dar aos anunciantes políticos igual acesso às nossas ferramentas e serviços", explicou Leathern sobre esta medida que despertou críticas de democratas e de republicanos.

Comentários

Últimas notícias