EUA

Assinado por 180 deputados, pedido de impeachment de Trump será apresentado na segunda-feira

A versão preliminar do texto elaborado por democratas já conta com assinaturas de 180 parlamentares

Agência Estado
Agência Estado
Publicado em 09/01/2021 às 21:05
Notícia

MANDEL NGAN / AFP
MAUS LENÇOIS Presidente está sendo ainda mais criticado após "encorajar" manifestantes a realizarem protestos - FOTO: MANDEL NGAN / AFP
Leitura:
O documento com artigo de impeachment do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, será apresentado na Câmara dos Representantes nesta segunda-feira (11), segundo informações do deputado Ted Lieu. De acordo com as declarações do parlamentar, neste sábado (9), a versão preliminar do texto elaborado por democratas já conta com assinaturas de 180 parlamentares.
>> Cada vez mais isolado, Trump é ameaçado novamente de destituição

O rascunho da resolução acusa Trump de ter deliberadamente incitado apoiadores a invadirem o Congresso americano, na última quarta-feira, para impedir a certificação da vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais. A manifestação, que se seguiu a um discurso do presidente, terminou em violência e causou pelo menos cinco mortes.
A presidente da Câmara, Nancy Pelosi, tem pressionado o vice-presidente Mike Pence a invocar a 25ª emenda da Constituição, pela qual o gabinete pode destituir o chefe de Estado caso julgue que ele é incapaz de exercer a presidência. No entanto, ela já afirmou que seguirá em frente com o impeachment se Pence não acatar a recomendação.
Pressionado, Trump finalmente admitiu a derrota para Biden e assegurou que haverá uma transição pacífica de poder, depois de passar meses tentando invalidar o resultado eleitoral sob acusações infundadas de fraude. Mesmo assim, o gesto não conseguiu conter o coro pelo impeachment entre democratas.
Não está claro se a proposta conseguirá apoio dos republicanos. Segundo memorando assinado pelo líder da maioria no Senado, Mitch McConnell e obtido pelo jornal The Washington Post, é improvável que a Casa teria tempo de votá-la antes do fim do mandato de Trump, marcado para 20 de janeiro, às 12h no horário de Washington. Questionado sobre se endossaria os planos democratas, Biden respondeu de forma evasiva e se limitou a afirmar que a decisão sobre a destituição cabe ao Congresso.
 
MANDEL NGAN/AFP
"O Twitter foi cada vez mais longe ao proibir a liberdade de expressão", disse Trump - FOTO:MANDEL NGAN/AFP

Últimas notícias