Meio Ambiente

Biden anuncia retorno dos Estados Unidos ao Acordo de Paris

O presidente também assinou pelo menos seis decretos relacionados à imigração

Agência Brasil
Agência Brasil
Publicado em 20/01/2021 às 23:03
Notícia
SAUL LOEB / POOL / AFP
O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, toma posse como 46º presidente dos Estados Unidos - FOTO: SAUL LOEB / POOL / AFP
Leitura:

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou, nesta quarta-feira (20), o retorno dos Estados Unidos ao Acordo de Paris. Biden prometeu colocar os Estados Unidos no caminho do saldo zero em emissões de gases de efeito estufa até 2050. Biden e a vice-presidente Kamala Harris tomaram posse na tarde de hoje.

Biden também revogou uma licença que era essencial para o projeto de oleoduto Keustone XL e uma moratória a atividades de exploração de óleo e gás no Refúgio Nacional da Vida Selvagem no Ártico. 

>> Bolsonaro cumprimenta Joe Biden e diz ver 'excelente futuro' para a relação Brasil-EUA

>> Saiba detalhes sobre a cerimônia de posse de Joe Biden como presidente dos EUA

>> No dia da posse de Biden, Suprema Corte dos EUA tem ameaça de bomba, diz CNN

>> Biden assina termo de posse e nomeações do primeiro escalão do governo dos EUA

O presidente também assinou pelo menos seis decretos relacionados à imigração. Entre os decretos, está a suspensão imediata da proibição da entrada nos Estados Unidos de pessoas oriundas de diversos países, principalmente muçulmanos ou africanos, interromper a construção de um muro na fronteira com o México e reverter uma ordem do ex-presidente Donald Trump que impedia que imigrantes ilegais fossem contados na próxima redefinição dos distritos eleitorais para o Congresso dos EUA.

>> "A democracia prevaleceu", diz Joe Biden em discurso de posse

>> Jovem poetisa negra Amanda Gorman causa sensação na posse de Biden nos Estados Unidos

Biden ainda assinou um memorando direcionando o Departamento de Segurança Nacional e o procurador-geral dos EUA a preservar o programa Daca, que protege de deportação imigrantes que chegaram ao país como crianças, e para reverter a ordem executiva de Trump que pede fiscalização interna mais rígida à imigração.

O presidente também enviou ao Congresso um projeto de lei de imigração que abre caminho para a cidadania de imigrantes que vivem ilegalmente no país.

* Com informações da Agência Reuters

Últimas notícias