NAZISMO

Em 2020, covid-19 matou 900 sobreviventes do Holocausto

Hoje ainda vivem em Israel 178,4 mil vítimas do nazismo. Desse total, 5,3 mil foram contaminados pelo coronavírus

Agência Brasil JC
Agência Brasil
JC
Publicado em 27/01/2021 às 10:56
Notícia
JANEK SKARZYNSKI/AFP
Este ano, as cerimônias destacam o 76º aniversário da libertação dos campos de concentração e da "volta à vida" após a deportação - FOTO: JANEK SKARZYNSKI/AFP
Leitura:

No Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, nesta quarta-feira, 27 de janeiro, o Escritório Central de Estatísticas de Israel divulgou que 900 sobreviventes do genocídio nazista morreram no ano de 2020 por complicações da covid-19. Segundo a agência RFI em Tel Aviv, no último ano faleceram 15 mil vítimas do holocausto, ou seja, 6% dessas mortes foram causadas pelo novo coronavírus.

Hoje ainda vivem em Israel 178,4 mil sobreviventes, 76 anos após o fim da Segunda Guerra Mundial. Desse total, 5,3 mil foram contaminados pelo coronavírus. A média de idade deles é de 84 anos. Por dia, cerca de 40 deles falecem.

Os presidentes de Israel, Reuven Rivlin; da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier; e do Conselho Europeu, Charles Michel, afirmaram que trabalham juntos para “preservar a memória do Holocausto e lutar contra o antissemitismo”.

"Prestamos homenagem aos sobreviventes. Seus testemunhos permanecerão para sempre como uma barreira contra aqueles que negam o passado. Trabalharemos juntos para garantir que as lições do Holocausto e o voto sagrado de 'Nunca Mais' sejam transmitidos aos nossos filhos, os filhos dos nossos filhos e todas as gerações futuras”, afirmou.

Memória

O Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto foi instituído em 2005 pela Assembleia Geral das Nações Unidas. O regime nazista assassinou cerca de seis milhões de judeus. Mas também foram vítimas da política de extermínio ciganos, homossexuais e comunistas. Pelo campo de Auschwitz, passaram mais de 1 milhão das vítimas do regime.

Os nazistas chegaram ao poder na Alemanha em 1933, sob o comando de Adolf Hitler. A partir de um nacionalismo exacerbado, foram instauradas políticas de cunho racista de perseguição a minorias étnicas, especialmente os judeus. O regime alemão se aproximou de outros países que, à época, estavam sob o domínio de ideologias semelhantes para desencadear a Segunda Guerra Mundial, entre 1939 e 1945. Foi durante esse período que os campos de concentração fizeram a maior parte de suas vítimas.

Comentários

Últimas notícias