decreto

Biden assina decreto que suspende novas concessões federais para petróleo e gás

O líder democrata assegurou, no entanto, que a tecnologia para extração do petróleo de xisto - conhecida como "fracking" - não será banida

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 27/01/2021 às 18:23
Notícia

CHIP SOMODEVILLA / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP
Joe Biden assinou o decreto nesta quarta-feira (27) - FOTO: CHIP SOMODEVILLA / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP
Leitura:
O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, assinou decreto no período da tarde desta quarta-feira, 27, suspendendo novas concessões federais para petróleo e gás no país e eliminando subsídios a combustíveis fósseis. A medida foi adianta mais cedo pela Casa Branca, em comunicado. Por outro lado, o líder democrata assegurou que a tecnologia para extração do petróleo de xisto - conhecida como "fracking" - não será banida. "Preservamos empregos. Quando penso na resposta à crise climática, penso em empregos", garantiu.
Na visão do presidente americano, os EUA precisam de uma "resposta nacional unificada à crise climática". "A mudança climática estará no centro de nossa política externa e segurança nacional", declarou Biden, em pronunciamento.
Ele assinou decreto, nesta quarta, criando o Gabinete do Clima na Casa Branca. "Não é hora de medidas pequenas. Temos que ser ousados", completou, revelando, ainda, que o governo deve aumentar a compra de carros movidos a energia limpa e, assim, criar um milhão de empregos na indústria automobilística.
De acordo com Biden, pesquisas mostram que poluição do ar aumenta a probabilidade por morte por covid-19 - o que incluiria o combate às mudanças climáticas na resposta do governo à pandemia.
O presidente dos EUA também prometeu construir 1,5 milhão de casas e prédios públicos com energia limpa, estimulando a geração de empregos.
 

Últimas notícias