RELIGIÃO

Bispo de mega-igreja da Nigéria diz ter demitido pastores por serem "infrutíferos"

Polêmica começou quando um dos ex-pastores afirmou que a igreja demitiu os líderes por terem um índice de crescimento da igreja que ficou abaixo das expectativas

JC
JC
Publicado em 22/07/2021 às 14:42
Notícia
REPRODUÇÃO/INSTAGRAM
A Capela dos Vencedores é uma rede global de igrejas com congregações em 65 países - FOTO: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM
Leitura:

O bispo David Oyedepo, da Living Faith Church International, também conhecida como "Capela dos Vencedores", disse que os pastores foram recentemente demitidos pela igreja por estarem "infrutíferos". A declaração foi transmitida pelo portal Punch, da Nigéria, país-sede da congregação, nesta quinta-feira (22).

A polêmica começou quando o pastor Peter Godwin afirmou que a igreja demitiu os líderes no estado de Ekiti, sudoeste da Nigéria, por terem um índice de crescimento da igreja que ficou abaixo das expectativas.

“A administração me disse que a igreja não opera com prejuízo. Eles também me disseram que a receita total que está sendo gerada na minha estação deve ser capaz de atender ao meu bem-estar e acomodação, então, como resultado de baixa renda, estou demitido", afirmou.

A declaração causou reações nas redes sociais da Nigéria, que questionaram o posicionamento da Capela dos Vencedores. Outros internautas defendiam o direito da instituição demitir os pastores.

Então, Oyedepo confrontou as críticas ao dizer que o burburinho não acontecia quando 7 mil pessoas estavam empregadas pela igreja.

“As pessoas estão confusas sobre o nosso ministério. Fiquei sabendo que alguns companheiros falavam: 'sabe, eles não estão trazendo renda, por isso pediram para eles irem'. Pedimos que você fosse porque está infrutífero. Infrutífero! Não temos paciência com o fracasso aqui", disse.

A Capela dos Vencedores, de denominação cristã carismática evangélica, começou a operar em 1983 com quatro membros. Agora, se tornou uma rede global de igrejas com congregações em 65 países.

“Quando empregávamos 7.000 pessoas ao mesmo tempo, a mídia social estava morta. Temos mais funcionários nesta organização do que na maioria dos estados. Ninguém deve um centavo de salário e não pedimos emprestado, não imploramos. Pergunte ao nosso banco se aceitamos cheque especial. Estamos comprometidos com a aliança, trabalhando à luz da palavra de Deus, desfrutando de um céu aberto.”

Sobre se dinheiro era um problema para sua igreja, ele disse: “Dinheiro? Absurdo. Nunca faltou isso e, ainda assim, nunca oramos por isso. Estamos simplesmente obedecendo a Deus e Ele está apoiando o que está nos pedindo para fazer. Maravilhoso Deus", completou. 

Comentários

Últimas notícias