CRIME

Amiga da traficante 'Hello Kitty', diz que a jovem pretendia voltar a igreja e largar o crime

Rayane Nazareth Cardoso da Silveira, de 21 anos, morreu durante uma operação policial na última sexta-feira (16), no Rio de Janeiro

Julianna Valença
Julianna Valença
Publicado em 20/07/2021 às 14:45
Notícia
Reprodução/Arquivo Pessoal
Rayane Nazareth Cardozo da Silveira era conhecida como Hello Kitty; ela ostentava fotos com armas nas redes sociais - FOTO: Reprodução/Arquivo Pessoal
Leitura:

Uma amiga da traficante Rayane Nazareth Cardoso da Silveira, de 21 anos, teria informado que a jovem pretendia voltar à igreja evangélica e deixar o crime, segundo o portal G1. Conhecida como ‘Hello Kitty’, Rayane foi morta na última sexta-feira (16), durante uma operação policial no Complexo do Salgueiro, em Niterói (RJ). A jovem teria entrado para o tráfico com 15 anos.



A amiga disponibilizou uma conversa no WhatsApp que teve com Rayane Nazareth, dias antes de sua morte, ao portal G1 e afirmou que a ida para a igreja era um desejo da amiga. “Eu não estava tentando levá-la para a igreja! Ela queria! As outras amigas falaram que ela não tinha mais jeito, mas ela já tinha me dito”, disse a mulher.

Rayane já teria participado da igreja evangélica no passado, mas deixou de ir ao templo religioso por causa do crime. Na época, a jovem tinha 15 anos e se apresentava cantando nos cultos. Quatro meses depois, ela engravidou e voltou ao tráfico.

Na conversa, a moça, que pediu para não ser identificada, escreveu: "O diabo investiu alto na sua vida, mas Deus escreve novamente uma história para ser lida com sucesso. Pra gente ir na igreja”. Hello Kitty a respondeu com uma foto do rosto, fazendo metade de um coração e digitou “sim”, à mensagem.

“Todos conheciam a Hello Kitty, mas poucos conheciam a Rayane! Ela era rodeada por vários que se diziam amigos, mas não eram p* nenhuma”, relatou a amiga ao G1.

 

Operação Policial

Rayane Nazareth e outros três suspeitos morreram na operação da Polícia Militar do Rio de Janeiro, na última sexta-feira (16), no Complexo do Salgueiro, em Niterói. A mulher era uma das criminosas mais procuradas do Estado e era braço de Alessandro Luiz Viera Moura. O traficante conhecido como ‘Vinte anos’, também morreu na operação e era apontado pela polícia como chefe do tráfico do Salgueiro, além de ser pai de Rayane.

A jovem foi enterrada no cemitério Parque Nichteroy, em São Gonçalo. O momento de despedida contou com fogos de artifício e a presença de alguns amigos da jovem, que estavam vestidos com camisa que trazia o nome dela e uma mensagem.

Na roupa estava escrito: “Não existem distâncias quando alguém significa tudo para você. Você se foi, mas ainda te sinto comigo em todos os lugares que eu vou. Te carrego do lado esquerdo do peito e sorrio sozinha sempre que penso em você. A tristeza que eu sinto não será maior que a alegria de ter vivido uma parte dessa vida com você. Te amarei eternamente.”

 

*Com informações do Portal G1

Comentários

Últimas notícias