Pandemia

Melbourne, na Austrália, condiciona fim do confinamento à vacinação

Cerca de cinco milhões de pessoas em Melbourne tiveram que ficar em casa desde 5 de agosto, em meio ao sexto confinamento e o mais duradouro imposto desde o começo da pandemia de covid-19

AFP
AFP
Publicado em 19/09/2021 às 11:06
Notícia
Myke Sena/MS
Vaincação contra covid-19 - FOTO: Myke Sena/MS
Leitura:

Melbourne, a segunda maior cidade da Austrália, finalizará por etapas seu confinamento no final de outubro se as metas da vacinação forem cumpridas, de acordo com uma agenda oficial divulgada neste domingo (19).

Cerca de cinco milhões de pessoas em Melbourne tiveram que ficar em casa desde 5 de agosto, em meio ao sexto confinamento e o mais duradouro imposto desde o começo da pandemia de covid-19.

Autoridades do estado de Victoria, que inclui Melbourne, afirmaram que a maior parte das medidas serão levantadas quando 70% dos maiores de 16 anos estiverem completamente vacinados (duas doses). Segundo eles, este objetivo poderia ser alcançado por volta de 26 de outubro.

>> Ao menos 4,2 mil adolescentes sem comorbidades já foram internados com covid-19

>> Vereador apoiador de Bolsonaro e contrário a uso de máscaras morre de covid-19

>> Covid-19: em Pernambuco, 98 crianças e adolescentes estão internados em leitos públicos; número reforça necessidade da vacinação

>> Mortes e casos de covid-19 mantêm tendência de queda no Brasil, diz Fiocruz

"O confinamento vai acabar. As restrições (limitadas) para sair de casa e o toque de recolher não estarão mais vigentes", disse o primeiro-ministro do estado de Victoria, Dan Andrews, acrescentando que algumas medidas ainda serão aplicadas.

Será permitida a abertura de restaurantes e pubs, mas com uma capacidade máxima de 50 pessoas completamente vacinadas e ao ar livre, enquanto será mantida a proibição de visitas a outras casas.

No entanto, quando a taxa de vacinação alcançar 80%, programado aproximadamente para 5 de novembro, os habitantes de Melbourne totalmente imunizados desfrutarão de mais liberdades, como não usar máscaras ao ar livre, até 10 visitantes em cada casa e a opção de trabalho presencial nas empresas.

Últimas notícias