NEVE

Equador suspende montanhismo após avalanche mortal em vulcão nevado

A avalanche ocorreu quando um grupo de 16 pessoas, das quais três estão desaparecidas, subiu ao cume do Chimborazo em 24 de outubro

AFP
AFP
Publicado em 29/10/2021 às 22:49
Notícia
HANDOUT / ECUADOR´S NATIONAL POLICE / AFP
Veículos durante uma operação de resgate após um deslizamento de neve no vulcão Chimborazo - FOTO: HANDOUT / ECUADOR´S NATIONAL POLICE / AFP
Leitura:

O Equador suspendeu o montanhismo por uma semana em cinco maciços do país devido ao mau tempo e após uma avalanche no vulcão Chimborazo, que deixou três mortos e três desaparecidos, informou o Ministério do Meio Ambiente nesta sexta-feira (29).

"As atividades de alta montanha estão suspensas nos picos nevados e elevações de mais de 5.000 metros de altura", disse o ministério em um comunicado.

Os montanhistas não poderão entrar nas nevadas Cayambe, Cotopaxi, Illiniza Sur, Antisana e Chimborazo por uma semana. Neste último, em 24 de outubro ocorreu uma avalanche que causou a morte de três pessoas.

A avalanche ocorreu quando um grupo de 16 pessoas, das quais três estão desaparecidas, subiu ao cume do Chimborazo, um maciço de 6.293 metros com neve perpétua.

Este vulcão, localizado na província de mesmo nome, é o mais alto do Equador, um dos principais do mundo e seu cume é o ponto mais distante do centro da Terra.

A restrição é imposta durante a espera por "uma melhoria nas condições climáticas que permitam salvaguardar a integridade dos turistas de alta montanha", acrescentou o ministério.

O Equador começará um feriado de cinco dias no sábado, o mais longo do ano, para comemorar o Dia dos Mortos e a Independência da cidade de Cuenca, a terceira mais importante do país. As autoridades estimam que mais de um milhão de pessoas irão se deslocar durante o feriado.

 


Últimas notícias