religião

Coronavírus: Arquidiocese de Olinda e Recife proíbe presença de fiéis em missas, inclusive na Semana Santa

Arquidiocese de Olinda e Recife publicou novas orientações a fiéis e párocos da Igreja Católica na região

Maria Lígia Barros
Maria Lígia Barros
Publicado em 18/03/2020 às 15:29
Foto: Círio Gomes/ JC Imagem
Pandemia do coronavírus e determinações do Governo do Estado fazem arquidiocese impor restrições - FOTO: Foto: Círio Gomes/ JC Imagem
Leitura:

Esta matéria foi atualizada às 17h02

Em razão da pandemia do coronavírus, a Arquidiocese de Olinda e Recife cancelou todas as Celebrações Eucarísticas com participação de fiéis e párocos na região - inclusive na Semana Santa. A partir desta quarta-feira (18), as missas, passam a ser celebradas a portas fechadas, na Igreja Catedral e Matriz de cada paróquia, e transmitidas ao vivo pela internet, no Facebook. As celebrações também podem ser acompanhadas pela Rádio Olinda (AM 1030) nos sábados, às 17h, a nos domingos, às 6h30, 9h e 16h.

O arcebispo Dom Fernando Saburido explicou, em coletiva de imprensa, que as igrejas deverão abrir por algumas horas no dia, entre missas. "Cada paróquia vai publicar esse horário, para que as pessoas possam ir rezar um pouco. Poderá receber a eucaristia se for desejo, mas o que aconselhamos mais é que façam a comunhão espiritual em sua casa", disse.

A Missa dos Óleos, presidida na quinta-feira Santa - este ano, em 9 de abril -, seguirá o mesmo protocolo. A celebração será realizada pelo arcebispo na Catedral na presença apenas do Conselho Presbiterial.

A medida é uma das novas orientações repassadas pela Arquidiocese aos católicos. Este é o quarto documento publicado desde o alastramento da doença Covid-19. Desta vez, as recomendações seguem restrições impostas pelo Governo de Pernambuco nessa terça-feira (17).

>> Veja os cuidados com idosos para evitar o coronavírus

>> Jair Bolsonaro anuncia medidas emergenciais por conta do novo coronavírus

>> Pernambuco tem primeiro caso de transmissão comunitária de coronavírus

>> Coronavírus: Pernambuco é o 4º Estado do Brasil com mais casos confirmados

Entre outros pontos, a Igreja determina ainda que as confissões, o sacramento da unção dos enfermos e a celebração das exéquias (velórios, sepultamentos e devem ser realizadas "somente em caso de real necessidade". No caso de não haver possibilidade do cancelamento do casamento, a recomendação é que ele seja celebrado de forma privada, com um número reduzido de pessoas. 

A Arquidiocese também recomenda que maiores de 60 anos, inclusive padres, diáconos, religiosos e religiosas, entrem em período de quarentena, mesmo os que não apresentam sintomas. E insiste sobre a higienização das mãos com água e sabão ou álcool em gel 70 graus. 

Veja lista completa das orientações:

1 - Reafirmamos os devidos cuidados com os idosos em enfermos, inclusive nossos padres, diáconos, religiosos e religiosas, recomendando que os maiores de 60 anos entrem em período de quarentena conforme orientação do Ministério da Saúde;

2 - Insistimos mais uma vez sobre a higienização das mãos com água e sabão ou álcool em gel 70 graus;

3 - A partir de hoje, 18 de março, ficam canceladas todas as celebrações eucarísticas com a participação do povo, inclusive nas capelas, oratórios, santuários e basílicas que se encontram no território da nossa Arquidiocese. As missas, especialmente no Dia do Senhor, serão celebradas a portas fechadas na Igreja Catedral e na Matriz de cada paróquia, com uma reduzida equipe de celebração, sendo transmitidas ao vivo por internet. Os fiéis poderão ainda assistir às missas pelas emissoras de TV nos horários de costume. Pela nossa Rádio Olinda, AM 1030, nos seguintes horários: no sábado - 17h; no domingo - 6h30, 9h e 16h;

4 - Quanto às celebrações da Semana Santa, deverão acontecer da mesma forma do item anterior. Na Catedral, além das demais celebrações, a tradicional Missa dos Santos Óleos será presidida pelo Arcebispo, concelebrada apenas pelos membros do Conselho Presbiterial, em comunhão com todo o clero e povo de Deus, que poderão acompanhar pelos meios de comunicação;

5 - Exortamos aos padres que, a exemplo do Bom Pastor, permaneçam nas paróquias para cuidar do seu rebanho;

6 - Considerando a calamidade que estamos vivendo, as Confissões sejam realizadas somente em caso de real necessidade, tomando os devidos cuidados, assim como o Sacramento da Unção dos Enfermos e a Celebração das Exéquias;

7 - No tocante às celebrações de Casamentos e Batizados, recomendamos que sejam transferidas para um tempo oportuno. Não sendo possível a transferência do Casamento, seja celebrado em privado, com reduzido número de pessoas;

8 - A Igreja Matriz e a Secretaria Paroquial funcionarão em horário especial a ser definido pelo pároco ou administrador paroquial;

9 - Conforme o item 7 da Nota do dia 17 de março: "Diante dos inadiáveis compromissos econômicos das paróquias, apelas à consciência dos fiéis a a manter a fidelidade ao dízimo...", cada paróquia, por meio da Comissão Pastoral para o Dízimo, oriente os fiéis como implementar esse apelo.

Ao concluir estas determinações, invocamos a intercessão de Nossa Senhora da Saúde e pedimos aos sacerdotes, diáconos, religiosos e religiosas e a todo o povo de Deus, que intensifiquem as orações pela superação desta calamidade, sem esquecer os profissionais da área de saúde e demais agentes sanitários. Que Deus abençoe a todos.

Comentários

Últimas notícias