Investigação

Operação da Polícia Civil mira suspeitos de tráfico, roubo e tortura no Grande Recife

Cerca de 40 policiais estão trabalhando na investigação; sete suspeitos foram capturados

Vanessa Moura
Vanessa Moura
Publicado em 17/04/2020 às 6:37
Notícia
Foto: Reprodução
Segundo o Sinpol, o Estado não distribuiu equipamentos de proteção em número necessário aos policiais civis - FOTO: Foto: Reprodução
Leitura:

A Secretaria de Defesa Social, através da Polícia Civil de Pernambuco, iniciou na manhã desta sexta-feira (17) a 10ª Operação de Repressão Qualificada do ano, realizando a apreensão de sete suspeitos de participarem de uma facção criminosa com intensa atuação no município de Ipojuca, Região Metropolitana do Recife. A investigação está sendo coordanada pela Diretoria Integrada Metropolitana (DIM) e desde fevereiro deste ano age com o objetivo de prender integrantes de uma Organização Criminosa voltada à prática dos crimes de tráfico de drogas, roubo e tortura.

A Chefia de Polícia, através de nota, informou que a operação busca cumprir nove mandados de prisão e sete mandados de busca e apreensão domiciliar, expedidos pelo MM Juíza da Vara Criminal de Ipojuca. De acordo com o Delegado Seccional, Gilberto Loyo, dos nove mandados de prisão expedidos, sete foram cumpridos e outros dois estão foragidos. Dentre os suspeitos capturados, dois já faziam parte do sistema prisional. 

Segundo o Delegado de Ipojuca, Ney Luiz, através do monitoramento dos suspeitos que já havia sendo realizado pela polícia há algum tempo, foi descoberto o envolvimento da facção em crimes de tortura. "Eles praticaram cerca de cinco torturas. Pegavam as vítimas, levavam até o alto do morro num local que funcionava como uma espécie de tribunal do crime e ali faziam contato com o chefe do tráfico local, que de dentro do presídio, ordenava o tipo de tortura a ser feito", relatou o Delegado. Dentre as cinco vítimas identificadas, há um adolescente com cerca de 17 anos.

Por conta da pandemia do novo coronavírus e das medidas de restrição que impedem a aglomeração de pessoas, a polícia optou por fracionar o ponto de reunião pós operação. Sendo assim, os suspeitos capturados foram levados a diferentes delegacias onde os procedimentos legais relativos ao recolhimento foram realizados. 

Para a execução dos mandados, 40 Policiais Civis, entre Delegados, Agentes e Escrivães, trabalharam. A investigação é supervisionada pela Chefia de Polícia e assessorada pela Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco (DINTEL). Segundo Gilberto Loyo, os trabalhos de investigação vão continuar através de todas as delegacias que fazem parte da área integrada de segurança "reprimindo energicamente as organizações criminosas, o tráfico de drogas, homicídios e delitos conexos".

Edésio Lemos/PCPE
10ª Operação de Repressão Qualificada do ano - Edésio Lemos/PCPE
Edésio Lemos/PCPE
10ª Operação de Repressão Qualificada do ano - Edésio Lemos/PCPE
Edésio Lemos/PCPE
10ª Operação de Repressão Qualificada do ano - Edésio Lemos/PCPE
Edésio Lemos/PCPE
10ª Operação de Repressão Qualificada do ano - Edésio Lemos/PCPE

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias