QUARENTENA

Isolamento social nas cinco cidades do Grande Recife segue em queda após término do lockdown

Nessa terça-feira, houve queda de, em média 6,85% de reclusão no Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Camaragibe e São Lourenço da Mata, em comparação ao dia 26 de maio

Katarina Moraes
Katarina Moraes
Publicado em 03/06/2020 às 9:37
Notícia
JAILTON JÚNIOR/JC IMAGEM
O Estado contabiliza 156.130 casos confirmados da doença - FOTO: JAILTON JÚNIOR/JC IMAGEM
Leitura:

Comparação entre as taxas de isolamento social dessa terça-feira (2) e da última, dia 26 de maio, indica que mais 115.505 mil habitantes das cinco cidades que estiveram em lockdown — quarentena mais rígida com intuito de desacelerar disseminação do novo coronavírus — entre os dias 16 e 31 de maio estiveram nas ruas. O contingente representa uma queda, em média, de 6,85% de reclusão no Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Camaragibe e São Lourenço da Mata. A estimativa é baseada nos dados do Índice de Isolamento de Pernambuco, feito pelo Ministério Público do Estado de Pernambuco (MPPE) em parceria com o Porto Digital e a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), divulgados nesta quarta-feira (3), e na estimativa de habitantes de cada cidade, calculada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

À reportagem do JC, nessa terça-feira (2), o pesquisador do Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami da Universidade Federal de Pernambuco (Lika-UFPE) e professor da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) Jones Albuquerque alertou para o aumento no índice, que havia reportado mais 153 mil pessoas nas ruas. "Com o risco de infecção que temos hoje, que se aproxima de 1, significa que essas 153 mil pessoas contaminaram outras 153 mil. Estas outras, saíram e contaminaram mais 153 mil. Não é um exponencial que a gente tinha antes, com o fator de 1,3 e 1,4, responsáveis por gerar uma potência, mas é preocupante. Ela não chega na velocidade que vinha, mas se a cada dia tivermos 153 contaminados, por exemplo, uma hora chegamos aos milhões", disse o integrante da equipe de coordenação do Instituto para Redução de Riscos e Desastres de Pernambuco, que analisa dados epidemiológicos da covid-19 no Estado.

Desde que começou a ser medido, no dia 22 de março, nenhuma cidade de Pernambuco atingiu a meta instituída pelo Governo do Estado de 70% de isolamento, de acordo com o ranking, que tem dados levantados pela empresa de tecnologia In Loco, por meio da geolocalização dos celulares dos cidadãos, Olinda ocupa o 8º lugar, com 46,9% da população reclusa. Recife vem em 11º, com 46,6%. Camaragibe fica na 23ª posição, com 44,6%. Já São Lourenço da Mata e Jaboatão dos Guararapes figuram em 26º e 32º, com percentual de 44,5% e 43,7%, respectivamente.

 

Nas cinco cidades que estavam lockdown, o índice de isolamento social caiu terça após terça, entre os dias 19 e 26 de maio e 2 de junho. A capital pernambucana, que soma 1,6 milhão de habitantes, bateu 54% de reclusão no dia 19, e caiu 3 pontos percentuais no dia 26, quando 51% da população permaneceu em casa, recomendação governamental para conter a covid-19. Do dia 26 para o dia 2, o isolamento no Recife caiu 4,4 pontos percentuais, diminuindo taxa para 46,6%. Por fim, a queda foi de 7,4 pontos percentuais entre os números do dia 19 e 2 de junho, o que representou mais 72.411 nas ruas da cidade nessa última terça (2).

Olinda, que tem 392 mil habitantes, esteve com 54% de reclusão no dia 19, e no dia 26 de maio, 50%, uma queda de 4 pontos percentuais. Entre os dias 26 e 2 de junho, quando 50% e 46,9% da população, respectivamente, respeitou a recomendação, o índice caiu em 3,1 pontos percentuais. Entre os dias 19 de maio (54%) e 2 de junho (46,9%), reclusão caiu diminuiu 7,1 pontos percentuais, o que representa 12.166 habitantes.

Cerca de mais 23.175 mil pessoas saíram de suas casas no dia 2 de junho, em comparação ao dia 26 de maio, em Jaboatão dos Guararapes, dias que apresentaram 43,7% e 47% de isolamento, respectivamente, uma queda de 3,3 pontos percentuais. Em comparação com os dias 19 (51%) e 26 de maio (47%), caiu 4 pontos percentuais. Já entre os dias 26 de maio (47%) e 2 de junho (43,7%), 7,02%.

 

Das cinco cidades, Camaragibe teve o menor aumento de circulação de pessoas entre os dias 26 de maio (47%) e 2 de junho (44,6%), quando mais 3.787 dos seus 157 mil habitantes deixaram de respeitar a quarentena, uma queda de 2,4 pontos percentuais na taxa de isolamento. Entre os dias 19 (51%) e 26 de maio (47%), queda foi de 4 pontos. Por fim, a cidade teve reclusão de menos 4,7 pontos entre os dias 19 de maio (51%) e 2 junho (44,6%).

Já em São Lourenço da Mata, cidade com menor população entre as que estiveram em lockdown no Grande Recife, com 113 mil habitantes, mais 3.963 residentes descumpriram a quarentena entre os dias 26 de maio e 2 de junho, que tiveram 48% e 44,5% de reclusão, respectivamente, uma queda percentual de 7,29% e de menos 3.5 pontos percentuais. Se comparar os dias 19 (50%) e 2 de junho (44,5%), o município apresentou a menor queda das cinco, de 5,5 pontos. Já entre os dias 19 (50%) e 26 de maio (48%), houve queda de 2 pontos.

35 mil casos e quase 3 mil mortes

No mesmo dia em que mais 6,85% dos habitantes das cinco cidades da Região Metropolitana do Recife que estiveram em lockdown saíram às ruas, Pernambuco confirmou 608 novos casos de coronavírus e mais 58 mortes em decorrência da covid-19, totalizando 35.508 pessoas infectadas pela doença e 2.933 óbitos desde o início da pandemia, que atualmente tem a América Latina como epicentro.

De acordo com Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), entre os novos casos, 262 se enquadram como Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), que é quando os pacientes foram internados e/ou tiveram quadros mais graves, e 346 casos são considerados casos leves. Com relação ao número total de casos, 14.797 são graves e 20.711 leves.

Comentários

Últimas notícias