ÉPOCA DE ACASALAMENTO

Baleias jubartes são vistas em Fernando de Noronha; assista ao vídeo

Até o momento, foram avistadas uma baleia adulta sozinha, uma baleia adulta com o filhote e borrifos em ocasiões diferentes

Carolina Fonsêca
Carolina Fonsêca
Publicado em 30/07/2020 às 19:03
Notícia

DIVULGAÇÃO/GOLFINHO ROTADOR
O aparecimento das baleias jubarte em Fernando de Noronha nesta época do ano é devido à temporada de acasalamento. - FOTO: DIVULGAÇÃO/GOLFINHO ROTADOR
Leitura:

A temporada de aparecimento de baleias jubartes em Fernando de Noronha começou. Os registros mais recentes do aparecimento desses mamíferos marinhos são da última quarta-feira (29), quando uma mãe e um filhote foram avistados por uma equipe de pesquisadores do projeto Golfinho Rotador.

>> Embarcação naufraga após sair de Fernando de Noronha a caminho do Recife

>> Fernando de Noronha inicia planejamento para reabertura do turismo

>> Protocolo para entrada em Fernando de Noronha prevê multa para quem descumprir quarentena

Os pesquisadores também avistaram uma baleia adulta sozinha, na terça-feira (28). Antes desses dois registros, informantes reportaram ao projeto a avistagem de borrifos - o momento em que o animal ejeta ar quente pelas narinas que ficam no alto da cabeça, na ida à superfície para respirar. Em contato com a atmosfera, o ar se transforma em partículas de água formando o borrifo. 

O registro da terça foi feito por volta das 7h30, nas proximidades da Baía de Santo Antônio, e o da quarta-feira, por volta das 11h, em frente ao Rugido do Leão, onde a mãe e o filhote permaneceram até às 11h50, com intervalo médio de 15 minutos entre um borrifo e outro. 

Segundo o Golfinho Rotador, o aparecimento das baleias em Noronha é devido à época de reprodução delas. Todos os anos as jubartes deixam as regiões polares, onde se alimentam, para acasalar e dar à luz. As populações do Hemisfério Sul de junho a novembro buscam regiões de baixas latitudes, como a costa brasileira, entre os Estados do Piauí e do Rio Grande do Sul.

As ilhas e os ambientes coralíneos são algumas das áreas preferidas pelas jubartes, chamadas pelos cientistas de Megaptera novaeangliae, durante a migração anual para completar seu ciclo de vida. Em Fernando de Noronha, há relatos de ocorrência de jubartes desde 1989.

O Projeto Golfinho Rotador acompanha sistematicamente as baleias na ilha há 20 anos. Entre janeiro de 2000 e outubro de 2019 foram registradas 419 jubartes em Fernando de Noronha. Nesse período, o monitoramento de cetáceos ocorreu regularmente a partir de dois pontos fixos: Mirante da Baía dos Golfinhos (5.812 dias) e Forte Nossa Senhora dos Remédios (2.577 dias). Também houve coleta de dados de uma rede de informantes locais.

O início da temporada reprodutiva das jubartes em Fernando de Noronha tem 12,17% das ocorrências registradas no mês de julho, com pico em agosto e setembro - com 37,47% e 37,95% respectivamente. Esta temporada normalmente chega ao fim em outubro. Existiram também ocorrências pontuais fora da temporada conhecida para a espécie no Hemisfério Sul, em janeiro, março e abril.

Ainda de acordo com o projeto Golfinho Rotador, os dados de avistamento dessas baleias em Fernando de Noronha são reportados ao Projeto Baleia Jubarte. As duas instituições são parceiras na Rede Biomar, formada por seis projetos voltados a conservação da biodiversidade marinha que atuam em rede com o patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias