EDUCAÇÃO

Universidade Católica de Pernambuco seguirá com aulas remotas até o fim de 2020

Instituição se pronunciou por meio de nota nas redes sociais

Thalis Araújo
Thalis Araújo
Publicado em 31/08/2020 às 23:53
REPRODUÇÃO
Universidade manterá atividades remotas até o fim de 2020, por causa da pandemia - FOTO: REPRODUÇÃO
Leitura:

Depois que o ensino superior, em Pernambuco, foi autorizado a retomar as atividades presenciais, a Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) se pronunciou nas redes sociais, informando que decidiu manter as aulas de forma remota até o fim deste ano. A instituição se baseou na Portaria 544 do Ministério da Educação, que autoriza a realização de ensino remoto, por meio de tecnológicos e digitais, até o dia 31 de dezembro deste ano.

A Unicap alegou ainda no comunicado que vem adotando as medidas de prevenção e combate ao novo coronavírus, mas só vai retornar às atividades presenciais quando houver total segurança sanitária para seus alunos, professores e funcionários.

As aulas presenciais foram suspensas no dia 18 de março por causa da pandemia da covid-19, mas estão autorizadas a retornarem no dia 8 de setembro, apenas para o ensino superior. O anúncio foi feito pelo secretário de Educação e Esportes do Estado, Fred Amâncio, durante coletiva de imprensa online na tarde desta segunda-feira (31). Segundo o secretário, esse retorno será feito de forma gradual e dividido em 4 etapas.

>> Escolas particulares devem ir às ruas pela retomada das aulas presenciais

O governo do Estado orienta que a retomada seja feita de acordo com o seguinte planejamento:

  • 8 de setembro: 25% da capacidade de alunos;
  • 14 de setembro: 50% da capacidade de alunos;
  • 21 de setembro: 75% da capacidade de alunos;
  • 28 de setembro: 100% da capacidade de alunos.

Amâncio disse que o comitê que avalia a situação do novo coronavírus em Pernambuco entendeu que o ensino superior poderá retornar, principalmente por ser um público mais velho, que tende a respeitar medidas de segurança como o uso de máscaras.

A volta às atividades presenciais não será obrigatória para os estudantes e instituições de ensino. Caberá às universidades decidir se retornarão às aulas presenciais, assim como os alunos deverão entrar em acordo com as instituições caso não deseje seguir com aulas remotas.

"As aulas poderão assumir, a partir da decisão das instituições, diferentes configurações. As instituições, por exemplo, poderão manter as suas atividades não presenciais. A gente poderá ter algumas decisões decidindo pela realização de atividades presenciais articuladas com atividades não presenciais, o que nós chamamos de ensino híbrido. Então, cada instituição poderá adotar diferentes modelos, inclusive para atender seus diferentes públicos", comentou.

Comentários

Últimas notícias