Resposta

Presidente da Urbana afirma que "não há necessidade do cobrador de ônibus"

Fernando Bandeira ainda argumentou que a população ganhará com a saída dos cobradores

JC Douglas Hacknen
JC
Douglas Hacknen
Publicado em 21/09/2020 às 17:03
Notícia
FELIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Ninguém queria prejudicar a população, entrar em conflito em pleno Natal. Os rodoviários agiram certo. Nós também fomos ágeis quando pedimos o dissídio de greve e conseguimos a determinação para que fosse garantido os 50% da frota", diz o presidente da Urbana-PE, Fernando Bandeira. - FOTO: FELIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Leitura:

O presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE), Fernando Bandeira, afirmou, na manhã desta segunda-feira (27), em entrevista à Rádio Jornal, que atualmente a função de cobrador não se faz mais necessária. A fala veio em resposta ao protesto realizado por rodoviários pouco antes. Como justificativa, Bandeira disse que “na grande maioria das capitais brasileiras, não há necessidade mais do cobrador” e concluiu: "no mundo todo é assim".

>> Rodoviários fazem protesto no Centro do Recife contra a dupla função

>> Projeto de Lei contra a dupla função de motoristas de ônibus tem votação adiada na Câmara do Recife

>> Protesto de rodoviários provoca engarrafamento na Agamenon Magalhães, no Centro do Recife

Durante mais de quatro horas, rodoviários realizaram um protesto no cruzamento entre a Rua do Sol e a Avenida Guararapes, no bairro de Santo Antônio, no Centro do Recife. O ato aconteceu quatro dias após uma rodada de negociações por reajuste salarial com a Urbana-PE, que aconteceu no dia 17 de setembro. Nesta segunda, motoristas e cobradores estacionaram os ônibus para fazer uma manifestação contra a dupla função, que ocorre quando os condutores dos coletivos têm que dirigir e cobrar a passagem. 

“A grande maioria das capitais brasileiras não há necessidade mais do cobrador. Vamos aproveitar ele em outras funções, como fiscal, para ser motorista, para ser escriturário. É isso que estamos fazendo”, garantiu o presidente da Urbana-PE.

>> Após mais de cinco horas de protesto, motoristas e cobradores liberam trânsito no Centro do Recife

Fernando ainda argumentou que a população ganhará com a saída dos cobradores, pois, vai impactar na redução do custo. "O cobrador quando está trabalhando tem um custo. Vai tirar esse custo da tabela tarifária. Esse é o ganho. Hoje você tem toda uma bilhetagem que não mais necessidade do cobrador (...) Você não pode impedir a modernidade. Vai manter o cobrador sendo tudo eletrônico? Não há coerência. No mundo todo é assim: sem cobrador", comentou.

Já são 267 linhas de ônibus operando sem o cobrador na Região Metropolitana do Recife. Antes da pandemia, quando a retirada dos profissionais tinha sido retomada após liberação do governo, o processo já estava em execução. As linhas tinham que ter baixo número de pagamento em dinheiro por viagem. A maior parte delas, inclusive, tinha uma média de zero a sete passageiros pagantes em dinheiro. Em outras, essa demanda oscilava entre oito e 11 passageiros pagantes em espécie. Mesmo assim, o sistema já acumulava 205 das 399 linhas sem o profissional, apontou levantamento da coluna Mobilidade do JC.

Comentários

Últimas notícias