segurança

Operação da Polícia Civil prende 12 pessoas por recepção de sucatas e materiais roubados

A ação contou com a participação da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Científica, Grande Recife Consórcio de Transportes, Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) e operadoras de telefonia (Vivo, Claro e Oi)

Bruna Oliveira
Bruna Oliveira
Publicado em 29/10/2020 às 13:03
Notícia

DIVULGAÇÃO/PCPE
Operação batizada de Tentáculos contou a participação da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Científica, Grande Recife Consórcio de Transportes, Celpe e operadoras de telefonia (Vivo, Claro e Oi) - FOTO: DIVULGAÇÃO/PCPE
Leitura:

A Operação Tentáculos, realizada nessa terça-feira (27) pela Polícia Civil de Pernambuco, resultou em 12 prisões em flagrante, além de apreensão de armas de fogo. A operação teve por objetivo fiscalizar estabelecimentos comerciais que estariam receptando sucatas e materiais. Nove estabelecimentos foram interditados e 22 notificados.

A Operação identificou 42 estabelecimentos comerciais, em que a maioria possuía histórico de atividade ilícita de receptação de materiais furtados, sendo suspeitas de aquisição ilegal. Entre os materiais com maior incidência de furto estão aço, ferro fundido, alumínio, cobre, chumbo, inoxidáveis; polietileno e PVC e compressores de ar condicionado.

"Muito material foi apreendido, inclusive do Grande Recife Consórcio, que foi alvo de furtos nas estações de BRT. Além disso, entre os materiais apreendidos também estão telas de proteção da Via Mangue e outros", declarou o diretor da Diretoria Integrada Metropolitana (DIM), Antônio Barros, nesta quinta-feira (29).

Coordenada pela DIM e supervisionada pela Chefia de Polícia, as investigações foram iniciadas no mês de setembro e tiveram a participação da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Científica, Grande Recife Consórcio de Transportes, Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) e operadoras de telefonia (Vivo, Claro e Oi).

A Operação resultou em 12 prisões em flagrantes pelos crimes de receptação qualificada, furto de energia e posse ilegal de arma de fogo. A ação também apreendeu armas do tipo espingarda, rifle e revólver. Segundo Antônio Carlos, os atos ilícitos resultam na alimentação de um esquema de furto.

"Infelizmente há pessoas viciadas que vendem os recursos para alimentar o vício. Os estabelecimentos, por exemplo, pagam R$ 32 pelo quilo do cobre e não sabem a origem e nem identificação de quem está vendendo. Todos os estabelecimentos deve ter cadastro de compra e venda", disse.

Ao todo participaram da ação 350 profissionais das forças de segurança, entre Policiais Civis; Policiais Militares; Polícia Científica e Corpo de Bombeiros Militar e 80 profissionais do Grande Recife Consórcio de Transporte; Celpe e das operadoras de telefonia celular.

Veja os materiais recuperados

223,8 Kg de Cobre;

12,980 metros de cabo;

45 m2 de chapas de alumínio do BRT;

12 luminárias da Prefeitura do Recife;

28 grades intactas da Via Mangue;

7 grades parciais da Via Mangue;

Instrumentos e equipamentos de uso exclusivo da Celpe;

Grande quantidade de material desviado da obra do Atacadão.

Seja um assinante JC.

Assine o JC com planos a partir de R$ 1,90 e tenha acesso ilimitado a todo o conteúdo do jc.com.br, à edição digital do JC Impresso e ao JC Clube, nosso clube de vantagens e descontos que conta com dezenas de parceiros.

Assine o JC

Comentários

Últimas notícias