TRAGÉDIA

Quase uma semana após chacina em Sanharó, crime permanece sem muitas respostas

O episódio de horror aconteceu na madrugada do sábado (07), durante um evento beneficente para arrecadar donativos para os moradores que foram prejudicados com as chuvas registradas no município

Vanessa Moura
Vanessa Moura
Publicado em 13/11/2020 às 9:54
TV Jornal Caruaru/Reprodução
Chacina em evento beneficente deixa cinco mortos em Sanharó - FOTO: TV Jornal Caruaru/Reprodução
Leitura:

Quase uma semana após a chacina que chocou os moradores de Sanharó, no Agreste do Estado, os criminosos permanecem foragidos. O episódio de horror aconteceu na madrugada do sábado (07), durante um evento beneficente para arrecadar donativos para os moradores que foram prejudicados com as chuvas registradas no município. Duas pessoas morreram na hora. Outras seis foram socorridas e levadas para unidades de saúde. Destas, três morreram, duas continuam internadas e uma recebeu alta. 

>>Morre quinta vítima de chacina em Sanharó, no Agreste de Pernambuco

Uma jovem de 17 anos estava no local no momento em que toda confusão aconteceu. Ela foi atingida com um tiro nas costas, passou por uma cirurgia e recebeu alta no último domingo (08). 

"Quando eu vi que tinha levado um tiro, caí na hora e fiquei sem sentir as pernas. Minha prima, quando viu que eu não tinha ido atrás dela, voltou e me ajudou", relatou em entrevista a Rádio Jornal. 

Além dela, Jamerson Leite, 23, e Diego Henrique, 24, também foram atingidos pelos tiros, mas ainda não receberam alta e seguem em recuperação na enfermaria do Hospital Regional do Agreste (HRA). Já José Jean Batista de Freitas,de 24 anos, que também foi ferido, recebeu atendimento numa unidade hospitalar em Sanharó e já passa bem. 

De acordo com a Polícia Militar, cerca de 300 pessoas estavam participando da festa beneficente quando dois homens, que ainda não foram identificados, chegaram no local atirando e fugiram logo em seguida.

Emily Aquino, de apenas 18 anos, foi uma das vítimas fatais. De acordo com uma amiga próxima da jovem, ela era bastante envolvida com causas sociais e tinha como propósito de vida ajudar as outras pessoas. Emily começaria a cursar gastronomia em uma faculdade no município de Caruaru, mas teve a vida interrompida. 

Arquivo pessoal
Emily Victoria Batista Luna Aquino, 18 anos, vítima de chacina em Sanharó - Arquivo pessoal

Segundo o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), a festa beneficente não tinha autorização para acontecer e os organizadores do evento podem ser responsabilizados civil e criminalmente pela tragédia.

"Dias antes, os responsáveis vieram nos procurar para pedir autorização para a festa ocorrer, mas não houve a autorização por dois motivos: estamos num momento de pandemia e não haveria segurança para evitar aglomerações e garantir que as pessoas que participassem do evento não iriam pegar a covid-19. Segundo porque estamos em período eleitoral, por isso também barrei", afirmou o promotor de Justiça Jefson Romaniuc, em entrevista à coluna Ronda JC.

>>Chacina em Sanharó: Organizadores de evento podem responder por homicídio

"Insatisfeitos, os responsáveis procuraram a Polícia Militar, que também não autorizou alegando que o evento não tinha estrutura adequada. Mesmo assim, eles fizeram o evento. Os responsáveis assumiram a posição de garantidor, ou seja, assumiram o risco do resultado, que infelizmente acabou em tragédia, por isso podem vir a ser responsabilizados por homicídio doloso. Após a conclusão das investigações é que saberemos", completou.

NOTA DA POLÍCIA CIVIL

A Polícia Civil de Pernambuco informa que está investigando os homicídios que vitimaram cinco pessoas, na madrugada do último sábado (7), em um sítio localizado no município de Sanharó. De acordo com informações iniciais, dois homens (ainda não identificados), chegaram ao local, onde acontecia uma festa e efetuaram disparos de arma de fogo, fugindo na sequência. Duas das vítimas morreram no local e outras pessoas foram encaminhadas para unidade de saúde. Dessas, outras três vítimas não resistiram aos ferimentos. Foi instaurado inquérito policial para apurar o caso, identificar os autores e a motivação do crime. O caso está sendo investigado pelos delegados João Carlos e Luciana Almeida.

Entre janeiro e outubro de 2020, Sanharó registrou 06 CVLIs contra 08 no mesmo período do ano passado. Isso significa uma retração de 25%. Em relação ao CVP, entre janeiro e setembro de 2020, foram registrados 35 crimes contra 50 no mesmo período do ano passado, ou seja, o município teve uma redução de 30% nos crimes violentos contra o patrimônio.

A Polícia Civil de Pernambuco, integrada às demais forças de segurança, informa que já adotou uma série de medidas para fazer os homicídios recuarem em Pernambuco. É importante lembrar que o aumento percentual de 10% nos CVLIs se dá no comparativo com a 2019, ano em que o Estado destacou-se nacionalmente na redução dos crimes contra a vida, repetindo o que já havia ocorrido em 2018.

VIOLÊNCIA CRESCE EM PERNAMBUCO

Pernambuco registrou, no primeiro semestre de 2020, um crescimento no número de homicídios acima da média nacional. Em seis meses, 1.962 pessoas foram assassinadas. Enquanto que no mesmo período do ano passado, foram 1.755. O aumento foi de 11,8%. Já a média nacional, que também registrou crescimento no número de mortes violentas, foi de 7,1%.

 

Arquivo pessoal
Emily Victoria Batista Luna Aquino, 18 anos, vítima de chacina em Sanharó - FOTO:Arquivo pessoal

Comentários

Últimas notícias