DROGA PELOS CORREIOS

Apreensão cresce na pandemia

Maria Lígia Barros
Maria Lígia Barros
Publicado em 27/11/2020 às 2:00
Leitura:

A apreensão no último dia 20 de novembro de 3 mil comprimidos de ecstasy enviados pelos Correios — a maior deste tipo realizada este ano — faz parte das estatísticas que mostram o aumento do tráfico de drogas por encomendas postais durante a pandemia em Pernambuco. A constatação é da Superintendência Regional da Polícia Federal, que informou ter registrado alta em 2020, embora não tenha divulgado um balanço até o fechamento da edição.

"Com o isolamento social devido ao novo coronavírus, alguns traficantes aumentaram o envio de drogas, principalmente sintéticas (como ecstasy e LSD) pelos Correios. As ações da PF, Receita Federal e Correios têm identificado isso neste momento que estamos vivendo de pandemia", afirmou o chefe de comunicação da PF em Pernambuco, Giovani Santoro.

O chefe da comunicação relatou que as apreensões têm sido mais recorrentes no caso de entorpecentes, e que outros materiais ilícitos não registraram o mesmo crescimento. "O contrabando de mercadorias, principalmente eletrônicos (celulares, computadores, carregares, baterias) é menos comum porque chama muito a atenção, devido à difícil ocultação em grandes quantidades", comentou.

A maior apreensão de ectsasy realizada em 2020 foi divulgada na última quarta-feira. Cerca de 1,3 quilo de pílulas foi encontrado escondidos em três potes de cremes para cabelo. A encomenda foi postada em uma agência dos Correios de Curitiba, capital do Paraná, com destino para Boa Viagem, bairro da Zona Sul do Recife.

Os agentes identificaram a substância com ajuda de um cão farejador da PF e do equipamento de raio-X, e, depois disso, acompanharam a entrega do pacote ao destinatário. O suspeito era um trabalhador autônomo de 33 anos, morador de Boa Viagem, que disse que receberia a encomenda para ganhar R$ 500 quando entregasse a droga ao destinatário final.

Em seguida, ele marcou um encontro para entregar a encomenda ao dono, um auxiliar de administração de 26 anos que mora no bairro de San Martin, na Zona Oeste da capital. Neste momento, os policiais abordaram o segundo homem e realizaram as detenções. Os dois passaram por audiência de custódia, tiveram prisão preventiva decretada e seguiram para o Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife. Autuados por tráfico, eles podem pegar penas de 5 a 25 anos de prisão se condenados.

 

Comentários

Últimas notícias