FOLIA SUSPENSA

Carnaval de 2021 é oficialmente suspenso em Pernambuco

Anúncio foi feito na tarde desta quinta-feira (17) pelo governo do Estado

Carolina Fonsêca
Carolina Fonsêca
Publicado em 17/12/2020 às 17:03
Foto: Arnaldo Carvalho / JC Imagem
Pernambuco não terá carnaval em 2021 por causa da pandemia do novo coronavírus. - FOTO: Foto: Arnaldo Carvalho / JC Imagem
Leitura:

Atualizada às 23h57

O Carnaval de 2021 está oficialmente suspenso em Pernambuco por causa da pandemia do novo coronavírus. O anúncio foi feito na tarde desta quinta-feira (17), pelo secretário estadual de Saúde, André Longo, durante entrevista coletiva transmitida pelo canal oficial do Governo de Pernambuco no YouTube. Depois de apresentar dados da 50ª semana da pandemia no Estado, indicando novo agravamento da calamidade sanitária, e somando o fato de que, até meados de fevereiro a maior parte da população ainda não estará vacinada, o secretário afirmou que "o Carnaval de 2021 está suspenso". 

>> Pernambuco confirma novos 1.646 casos de covid-19 nesta quinta-feira (17)

>> Fiocruz divulga cartilha com orientações para prevenção da covid-19 nas festas

>> Bares e restaurantes terão de limitar capacidade de atendimento para até 300 pessoas em Pernambuco

Ao detalhar a semana de número 50 da pandemia, André Longo destacou que os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srags) tiveram novo crescimento, chegando a quatro semanas de alta. "São 727 casos de Síndromes Respiratórias Agudas Graves, um aumento de 2,5% em relação a semana passada e 9,18% em 15 dias. Voltamos a patamares vistos no final de setembro e início de outubro. A tendência de alta nos preocupa", registrou. 

>> Governo prevê 24,5 milhões de doses de vacinas contra covid-19 em janeiro

>> Comitê de Vacinação contra Covid-19 do Recife realiza primeira reunião comandada pelo prefeito eleito João Campos

Mais do que uma festa, o Carnaval é uma época importante para o turismo e para a economia do Estado. O secretário de Saúde pontuou que no "atual contexto, não há condição de um evento desse porte, que mobiliza multidões, por vezes milhões de pessoas". "Mais uma vez reforçar: ainda não vencemos a pandemia. Não terá sido superada no início de 2021 e cada atitude vai contar muito", disse Longo. 

>> Novo ministro espera que governantes não decretem lockdown

"Acompanhamos com preocupação o aumento de casos, em especial no sul do país, com aumento expressivo do número de casos e mortes. Aqui em Pernambuco tem se dado em menores patamares, mas é preciso acender a luz de alerta e ter a cautela necessária. Precisamos contar com a consciência de cada um. A pandemia não acabou e, no momento, nossa única proteção é o cuidado até que se possa chegar a vacina", reforçou.

Não é apenas o carnaval de rua que não acontecerá no ano que vem. As prévias, públicas ou privadas, e as famosas festas pagas que acontecem durante os dias de momo também estão suspensas. "Na semana passada, já anunciamos que até o fim do ano proibimos festas e shows. Hoje anunciamos que essa medida vai se estender até o Carnaval, não sendo permitido nenhum evento, show ou mesmo prévia e festividades de Carnaval, seja pública ou privada. São exatamente esses eventos os maiores potencializadores de contaminação", afirmou Bruno Schwambach, secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado que também participou da coletiva.

Durante a coletiva, o governo do Estado informou também que o estado de calamidade pública foi estendido por mais seis meses, pelo governador Paulo Câmara (PSB), valendo, então, até junho de 2021. "Essa é uma medida fundamenta para enfrentamento da doença, inclusive para os esforços logísticos para viabilizar a vacinação", classificou o secretário estadual de saúde. André Longo também acrescentou que o governo pernambucano está em contato com o Ministério da Saúde, cobrando ações e efeitos com celeridade, e que já foi anunciado que o Recife será ponto estratégico para distribuição das vacinas. 

Apesar da suspensão do Carnaval e da extensão do estado de calamidade, a possibilidade de se fazer um novo lockdown em Pernambuco foi afastada pela SES. 

Especialistas avaliam decisão do governo

Especialistas avaliaram como prudente a decisão do governo do Estado de suspender o Carnaval 2021 em Pernambuco por causa da pandemia da covid-19. Segundo a médica sanitarista e vice-presidente da da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), Bernadete Perez, não havia outro caminho a não ser impedir as festividades.

"A gente enxerga como uma decisão inexorável. Uma decisão que precisava ter acontecido. Não existe saída a não ser suspender a festa. A gente já prevê que o mês de janeiro vai ser um mês muito duro, muito difícil. Então, a suspensão do Carnaval é uma medida necessária, uma medida mais que necessária. Não tinha como não ser", comentou a especialista.

A médica frisou que a situação nunca esteve controlada e, por isso, é necessário manter os cuidados. "Não tem alternativa. Tem que cancelar. É importante ressaltar que, em momento nenhum nós tivemos a pandemia controlada", disse.

Números atualizados da pandemia da covid-19 em Pernambuco

Nesta quinta-feira (17), Pernambuco confirmou 1.646 novos casos de covid-19. Mais 22 mortes também foram contabilizadas nas últimas 24 horas. Desde o início da pandemia, o Estado já confirmou 203.497 casos e 9.361 mortes.

Comentários

Últimas notícias