Investigação

Estava havendo o início de um 'tribunal do crime' em Caruaru, diz delegado após operação no Agreste de Pernambuco

O grupo estaria ateado fogo em casas, expulsado moradores e até matado um cachorro de uma família para demonstrar força

Cássio Oliveira
Cássio Oliveira
Publicado em 26/02/2021 às 12:27
Notícia
DIVULGAÇÃO
Operação da Polícia Civil contou com apoio da PMPE - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

A Polícia Civil deflagrou, nesta sexta-feira (26), a operação Mayday, em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, e cumpriu seis de mandados de prisão, expedidos contra possíveis integrantes de uma organização criminosa suspeita de praticar crimes de tentativa de homicídio, tráfico de drogas e crime ambiental. Ainda foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão domiciliar.

>> Operação mira oito suspeitos de integrar quadrilha de tráfico de drogas e crime ambiental em Caruaru

De acordo com o delegado Bruno Machado, que preside a operação, foi verificado o início de um 'tribunal do crime' pela organização criminosa na cidade, que chegou a expulsar moradores de suas casas. "Recebemos a informação em janeiro de que uma família foi vítima do grupo criminoso, pessoas armadas foram à casa das vítimas, efetuaram disparos de arma de fogo, mas as vítimas conseguiram fugir. Em seguida, a organização ateou fogo na residência com os bens materiais da família no imóvel e determinaram que a família não poderia mais morar no bairro", explicou o delegado.

Bruno ainda detalhou que 15 dias após a investida, uma pessoa teria sido 'julgada' pela organização. "Uma pessoa foi julgada por eles, suspeita de emprestar uma moto para que outra pessoa praticasse um crime. O grupo entendeu que a área era deles, foram à residência, espancaram e expulsaram o morador do local por esse empréstimo da moto", afirmou Bruno, que é titular da 19ª Delegacia de Polícia de Homicídios – 19ª DPH, integrante da 3ª Divisão de Homicídios do Agreste – 3ª DHA.

Estava tendo início ali uma verdadeira instituição de um tribunal de crime, que a polícia não vai admitir que ocorra aqui em Caruaru. Então qualificamos as pessoas, encontramos seus endereços, solicitamos mandados de prisão e busca e tivemos êxito com a deflagração da operação.
Delegado Bruno Machado.

Ao todo foram expedidos oito mandados de prisão e a polícia conseguiu cumprir seis. O delegado explicou que vai "caçar" e consegui prender os outros dois suspeitos que não foram presos nesta manhã. À Rádio Jornal Caruaru, o delegado explicou que o grupo também é suspeito de crime contra o meio ambiente pela morte de um cachorro. "Após a tentativa de homicídio de um pai e um filho, sem êxito, por pura maldade e para demonstrar poder, na frente da um adolescente, eles ceifaram a vida do o cachorro da família e foi imputado crime ambiental", explicou. 

As investigações tiveram início em janeiro de 2021, e foram assessoradas pela Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco (Dintel). Todos os mandados foram expedidos pela Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Caruaru. Os presos serão encaminhados ao presídio de Caruaru após a audiência de custódia. As investigação prosseguirão, pois segundo o delegado Bruno o grupo ainda pode ser maior. 

Na execução, trabalharam 80 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães. Além disso, a operação contou com o apoio operacional de equipes do 1º Batalhão Integrado Especializado - BIESP/PMPE.

Comentários

Últimas notícias