Benefício

Paulo Câmara anuncia auxílio financeiro para artistas e grupos culturais do São João

Devem ser beneficiados grupos de ciranda, coco, xaxado, bacamarteiros, quadrilhas juninas, bandas de forró entre outros

Cássio Oliveira
Cássio Oliveira
Publicado em 28/05/2021 às 10:42
Notícia
DAYVISON NUNES / JC IMAGEM
PANDEMIA Festividades foram suspensas para evitar aglomerações - FOTO: DAYVISON NUNES / JC IMAGEM
Leitura:

O governador Paulo Câmara (PSB) assinou, nesta sexta-feira (28), um Projeto de Lei que cria o Auxílio Emergencial Ciclo Junino de Pernambuco. Segundo o Governo do Estado, o objetivo é conceder apoio financeiro a artistas e grupos culturais que fazem a festa no São João, mas que estão impedidos de promover suas atividades por conta da pandemia de covid-19.

A proposta foi enviada à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) e precisa ser avaliada pelos deputados. No entanto, o governador acredita que será discutida, aprovada e entrará na fase de pagamentos em, no máximo, 60 dias.

>> São João de Caruaru é cancelado pelo segundo ano consecutivo por causa da covid-19

>> Petrolina cancela festa do São João 2021

O edital destinará recursos do Tesouro Estadual da ordem de R$ 3,2 milhões para mais de 400 artistas e grupos culturais que foram contratados pela Fundarpe ou Empetur nos Ciclos Juninos de 2018 e 2019, o que deve beneficiar cerca de 5 mil pessoas. De acordo com a proposta, os pagamentos deverão ser efetuados no dia 30 de julho deste ano, abrangendo todos os artistas e grupos contratados pelo Governo nos dois últimos editais do São João.

De acordo com a proposta, o valor do auxílio corresponderá a 60% do último cachê recebido pelo artista ou grupo cultural, por meio de contratação realizada pela Fundarpe ou Empetur nos Ciclos Juninos. Os valores definidos terão um piso de R$ 3 mil e um teto de R$ 15 mil, pagos em parcela única.

O edital será lançado após a aprovação do projeto na Alepe e a execução dos pagamentos ficará a cargo da Fundarpe. Dentre as atrações artísticas que devem ser contempladas estão: quadrilhas juninas, cirandas, grupos de coco, xaxado, bacamarteiros, bois, trios de forró-pé-de-serra, bandas de forró e artistas solo.

“Fizemos um levantamento para garantir que todos os artistas e grupos que integraram pelo menos uma das nossas grades de contratação em 2018 e 2019 tivessem direito ao benefício. São profissionais que têm neste período do Ciclo Junino seu ápice para apresentações artísticas, possibilitando uma enorme contribuição para manutenção e sustento de seus grupos e bandas em outros períodos do ano”, disse Marcelo Canuto, presidente da Fundarpe.

Segundo o secretário Estadual de Cultura de Pernambuco, Gilberto Freyre Neto, o edital destinará os recursos como forma de minimizar o impacto econômico causado pela suspensão das festividades juninas. “Este auxílio traz um amparo a diversos profissionais da cultura, considerando que os artistas e grupos culturais que atuam no Ciclo Junino do Estado estão impedidos de participar de quaisquer eventos por conta das medidas restritivas adotadas em decorrência da pandemia”.

Vacinação

O governador Paulo Câmara aproveitou o evento para criticar uma falta de planejamento em vacinação no Brasil. "Vivemos um momento de mais de 450 mil mortes no Brasil, com um processo de vacinação que não atingiu a velocidade adequada, faltou planejamento e faz com que esse momento difícil continue acontecendo com previsão ainda de durar algum período de tempo. O trabalho é redobrado e Pernambuco monta uma estrutura enorme de atendimento à saúde, são 1700 leitos de terapia intensiva. Precisamos pensar juntos formas de minimizar e fazer ter condições de atravessar esse período", afirmou. "Não vamos descansar enquanto a pandemia estiver no nosso país, trabalhando com a ciência, com medida de restrição, com a retomada a partir de melhorias no processo sanitário, discutindo com transparência", completou o gestor estadual.

Câmara se pronunciou nessa quinta-feira (27), pelas redes sociais, sobre a decisão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em acionar o Supremo Tribunal Federal (STF) para vetar medidas restritivas nos estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte e do Paraná.

"Mais de um ano, desde o início da pandemia no Brasil, o quadro se agravou, frente a indícios de uma nova onda, e a postura do presidente também só piora. Resolveu dedicar seu tempo a processar governadores que trabalham para salvar vidas." afirmou o governador.

Paulo ainda cobrou mais vacinas, ampliação da testagem e apoio financeiro para a população. "O presidente não combate o vírus, ao contrário, caminha na direção oposta, enquanto encena embates de baixo nível, para uma plateia cada vez menor", escreveu.

As medidas restritivas para conter o novo avanço covid-19 em Pernambuco tiveram início nessa quarta-feira (26) e seguem até o dia 6 de junho. Saiba mais sobre as restrições clicando aqui.

Confira como foi o anúncio

 

Comentários

Últimas notícias