Crime

Preso por tráfico no Recife, homem confessa ter matado o pai, comissário da polícia

O homem de 25 anos teria matado o próprio pai durante uma briga depois de roubar um celular para comprar crack

Douglas Hacknen
Douglas Hacknen
Publicado em 13/07/2021 às 21:16
Notícia
DIVULGAÇÃO/PCPE
Corpo do comissário foi encontrado no Curado IV - FOTO: DIVULGAÇÃO/PCPE
Leitura:

Um homem de 25 anos, preso por tráfico de drogas em Afogados, na Zona Oeste do Recife, confessou ter matado o próprio pai durante uma briga depois de roubar um celular para comprar crack. A vítima, Roberto Barreto Vieira, de 65 anos, era comissário aposentado da Polícia Civil e tinha desaparecido no dia 16 de junho. 

O suspeito, Roberto Barreto Vieira Filho, foi preso com uma pedra de crack de 300 gramas, balança de precisão e uma faca peixeira no dia 9 de julho, além de alguns cartões de crédito de seu pai. Os detalhes da prisão foram divulgados pela Polícia Civil nesta terça-feira (13), em coletiva de imprensa.

Segundo a polícia, Roberto confessou ter assassinado o pai com uma facada no pescoço após uma briga na casa dele, na Mangueira, na Zona Oeste do Recife. O corpo do comissário foi encontrado sem identificação em uma mata Curado IV, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife.

DIVULGAÇÃO/PCPE
Cena da tentativa de ocultação do crime - DIVULGAÇÃO/PCPE
DIVULGAÇÃO/PCPE
Cena da tentativa de ocultação do crime - DIVULGAÇÃO/PCPE
DIVULGAÇÃO/PCPE
Cena da tentativa de ocultação do crime - DIVULGAÇÃO/PCPE

"Ele afirma que cometeu o crime sozinho, mas a polícia não descarta a participação de terceiros. A forma como ele descreveu o ocorrido, a gente acredita ser bem difícil que ele tenha atuado só. A briga e o homicídio ocorreram no pavimento superior. Para chegar no pavimento inferior, tem uma escada bem difícil. Por isso, a gente acredita na participação de mais alguém", explicou a delegada Marisandra Pimentel.

As equipes do Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) e da Delegacia de Pessoas Desaparecidas encontraram a arma do crime (faca peixeira) escondida na residência do policial. Depois, dirigiram-se à BR 232, após a entrada do Curado IV. No local, eles localizaram o colchão da vítima e vários outros pertences, além de roupas do suspeito sujas de sangue.

O veículo da vítima, utilizado para condução do corpo até local, estava no bairro da Mangueira. Todos os materiais apreendidos foram encaminhados para perícia criminal.

O caso foi investigado pela Delegacia de Desaparecidos e de Proteção à Pessoa, Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri) e Departamento de Investigações sobre Narcóticos (Denarc), sob a coordenação dos delegados Newson Motta, Cláudio Castro e Marissandra Pimentel.

O suspeito foi submetido no último sábado (10) à audiência de custódia, onde foi decretada prisão preventiva.

 

Comentários

Últimas notícias