pandemia

Pernambuco confirma mais 8 casos de infecção pela variante Delta do novo coronavírus

Pacientes fizeram as coletas de RT-PCR entre o final de julho e início de agosto

Bruna Oliveira
Bruna Oliveira
Publicado em 27/08/2021 às 16:54
Notícia
DIVULGAÇÃO/SES-PE
Das 148 amostras sequenciadas, 8 (5,4%) apresentaram a variante Delta - FOTO: DIVULGAÇÃO/SES-PE
Leitura:

Pernambuco confirmou, nesta sexta-feira (27), mais oito casos de infecções pela variante delta do novo coronavírus. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), o órgão recebeu 148 amostras de sequenciamento genético de pacientes que testaram positivo para a covid-19 feito pelo Instituto Aggeu Magalhães, unidade da Fiocruz em Pernambuco (IAM/Fiocruz PE). Dessas, oito (5,4%) apresentaram a variante Delta. Os pacientes infectados são moradores do Recife (5), Olinda (1), Cabo de Santo Agostinho e Exu (1). Identificada originalmente na Índia, a cepa é mais transmissível e tem colocado especialistas em alerta.

As coletas dos materiais biológicos desse público ocorreram entre os dias 31 de julho e 5 de agosto. Entre os oito casos  da variante Delta, três foram em pessoas do sexo masculino e cinco do sexo feminino, com idades entre 16 e 56 anos.

Com as novas testagens positivas para a variante, Pernambuco agora totaliza 10 casos de Delta. Além das oito informadas nesta sexta, duas transmissões comunitárias já tinham sido divulgadas no último dia 18 de agosto, de pacientes de Abreu e Lima e Olinda que adoeceram em julho.

"Na análise dos dois primeiros casos, a vigilância em saúde não identificou vínculo epidemiológico dos pacientes com casos confirmados para a Delta ou viagem para áreas de circulação do vírus, o que mostrava que já há circulação comunitária da Delta em Pernambuco. Agora, os municípios de ocorrência desses novos casos, com o apoio do Estado, também farão um trabalho de vigilância com essas pessoas, para averiguar se há vínculo epidemiológico com os casos confirmados anteriormente, se há adoecimentos secundários e a necessidade de testagem de contatos", declarou o secretário estadual de Saúde de Pernambuco, André Longo.

Para ele, é importante que o Estado tenha identificado esses novos casos da variante delta. "Esse achado da Fiocruz PE é importante para sabermos a circulação das variantes em nosso território, mas reforço que, independente do tipo, não podemos relaxar nas medidas sanitárias e precisamos continuar avançando na vacinação, ofertando mais primeiras doses e concluindo os esquemas vacinais com a segunda dose", completou.

Vacinação

Durante a reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), realizada nessa quinta-feira (26), a superintendente de Imunizações da SES-PE, Ana Catarina de Melo, lembrou da necessidade dos municípios fazerem busca ativa dos seus munícipes que estão com a segunda dose em atraso. O objetivo é fazer com que eles concluam o esquema vacinal, principalmente por causa do maior grau de transmissão da Delta.

"Atualmente, são mais de 400 mil pessoas com a finalização do esquema vacinal em atraso, de acordo com sistema de informação do Ministério da Saúde. Os municípios precisam ficar atentos a isso, para que possamos chegar às metas estabelecidas em cada grupo prioritário e também na população em geral. Os gestores precisam fazer busca ativa, ir até onde as pessoas estão, para evitarmos bolsões suscetíveis à doença", ratificou.

Para evitar uma maior propagação da variante delta, o secretário André Longo alertou sobre o papel fundamental de tomar a vacina para ajudar no combate ao novo coronavírus. 

"Os municípios pernambucanos estão avançando bastante na proteção por faixa etária. Verifique se sua cidade já está disponibilizando doses para o seu grupo e se vacine assim que possível. Quanto antes tomar a primeira dose, mais rápido chegará o tempo de fazer a segunda, garantindo uma proteção robusta contra a covid-19. Esse é um ato individual, mas que tem um impacto importante para a coletividade e para o enfrentamento desta pandemia", frisou o secretário.

Outras variantes

Entre as outras amostras sequenciadas recebidas pela SES-PE, 132 (89,1%) eram da linhagem ou sublinhagens Gama (P.1). Já as outras pertenciam a linhagens de menor preocupação.

As amostras coletadas eram de pacientes dos municípios de Águas Belas, Araripina, Arcoverde, Belo Jardim, Betânia, Bodocó, Brejinho, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Caruaru, Exú, Gravatá, Iguaraci, Itapetim, Jaboatão dos Guararapes, Lagoa Grande, Limoeiro, , Machados, Olinda, Panelas, Paranatama, Parnamirim, Paulista, Pesqueira, Petrolina, Recife, Sanharó, Santa Cruz do Capibaribe, Santa Maria da Boa Vista, São Bento do Una, São José do Egito, São Lourenço da Mata, Serra Talhada, Sertânia, Tabira, Tacaimbó, Terezinha e Triunfo.

Também tiveram amostras de residentes de Ananindeua (PA), Luis Gomes (RN), Salvador (BA) e Santarém (PA) que fizeram coleta em território pernambucano.

Comentários

Últimas notícias