SAÚDE

Pernambuco confirma circulação da variante Delta do coronavírus

Dois casos da cepa foram confirmados na última semana pela Secretaria Estadual de Saúde, que não identificou quem os teria infectado

Katarina Moraes
Katarina Moraes
Publicado em 18/08/2021 às 12:21
Notícia
HÉLIA SCHEPPA/SEI
PANDEMIA Autoridades reforçaram a importância da vacinação e da testagem para conter a propagação do vírus - FOTO: HÉLIA SCHEPPA/SEI
Leitura:

Atualizado às 20h27

O Secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, afirmou durante coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (18) que a pasta já acredita haver transmissão comunitária da variante Delta da covid-19 no Estado. Isso porque a secretaria não conseguiu identificar quem teria infectado os dois pernambucanos que positivaram para a cepa - mais transmissível que a original -, que tiveram casos anunciados na última semana. Ainda há sete casos em investigação.

"Investigações epidemiológicas dos dois casos de pernambucanos que anunciamos na semana passada apontam para a circulação em nosso território de forma comunitária, porque não conseguimos identificar os casos que positivaram para a doença antes desses dois pacientes", disse Longo. "Ainda estamos com toda vigilância atuando tanto nos municípios, quanto em Pernambuco, mas precisamos reforçar os cuidados da população considerando que a pandemia não acabou".

A propagação de possíveis variantes é uma preocupação, segundo o secretário, inclusive diante as cenas de aglomerações registradas na Região Metropolitana do Recife no último final de semana. "Podem colocar em risco as conquistas que são resultados do esforço de todos. Precisamos manter o nível de cuidado", pediu. Ainda, alertou para a necessidade de completar o esquema vacinal com as duas doses necessárias para todas as vacinas, com exceção da Janssen.

O resultado dos casos da variante Delta veio após sequenciamento genético de amostras de pacientes positivos para a covid-19 foi feita pelo Instituto Aggeu Magalhães (IAM), unidade da Fiocruz em Pernambuco. Das 52 amostras, duas apresentaram a cepa, detectada inicialmente na Índia, em um homem que reside em Olinda, de 49 anos, e outro em Abreu e Lima, de 24 anos. Entre julho e a primeira semana de agosto, o IAM já havia identificado cinco casos da variante delta - todos em tripulantes filipinos que precisaram atracar no Estado para atendimento médico.

Ao responder questionamento sobre eventual necessidade de ampliação de leitos para atender a demanda trazida pela Delta, Longo diz que hoje ainda há uma "margem bastante significativa" na ocupação hospitalar, e que há possibilidade de reconversão de leitos para atender a doença. "É preciso lembrar que também temos outras doenças que neste momento estão necessitando de atenção que, vou botar entre aspas, foram negligenciadas durante a maior atenção para a covid. Precisamos ter um equilíbrio entre a atenção à covid e a outras doenças."

Questionado sobre a situação do Rio de Janeiro, em que a variante Delta está presente em 60% das amostras coletadas, o secretário alegou que Pernambuco ainda está longe deste patamar. "A gente não detectou uma predominância aqui (da variante Delta) no Estado. No Rio, já. Nosso objetivo é diminuir a circulação do vírus como um todo. Para gente ir detectando em diversos municípios, precisamos acompanhar de perto e por isso o Testa PE vai ser importante", explicou.

No boletim epidemiológico desta quarta-feira (18), a SES-PE informou que a ocupação média de leitos estaduais para Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) é de 36%, com pacientes em 38% dos leitos de UTI, e em 33% dos de enfermaria. Já na rede privada, a taxa média de ocupação é de 40%, com 50% dos leitos de UTI ocupados, e 26% de enfermaria.

Tendência de queda e estabilidade em indicadores

Dados apresentados na coletiva mostraram que a última semana epidemiológica, a 32, apontou estabilidade nos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) após quedas sucessivas, mantendo os menores patamares registrados desde o início da pandemia. Já nas solicitações por leitos de UTI, Longo afirma que a tendência de queda permanece.

"Foram 420 casos identificados de SRAG, 21 a mais que a 31. Um aumento de 5%. Quando fazemos uma análise de 15 dias, ainda há uma queda de 17%. A Central de Regulação registrou 330 pedidos de internação nesta última semana, o que representa uma queda de 6% em relação a semana anterior", disse.

Apesar disso, Longo diz que estes não dão "direito de abrir mão dos cuidados". "Se quisermos continuar avançando inclusive com novas aberturas no plano de convivência, precisamos reforçar o que é o mantra da saúde em nosso estado: o uso correto da máscara, cobrindo boca e nariz, distanciamento físico sempre que possível e o cumprimento de protocolos em cada uma das atividades que estão sendo abertas, incluindo necessidade de higiene adequada das mãos", afirmou.

HÉLIA SCHEPPA/SEI
O Governo de Pernambuco realiza, nesta quinta-feira (5), às 16h30, uma nova coletiva de imprensa a respeito do enfrentamento a covid-19 no Estado. - FOTO:HÉLIA SCHEPPA/SEI

Comentários

Últimas notícias