Fiscalização

Posto de combustível é interditado por aplicar preço abusivo no Recife

Durante fiscalização, o Procon constatou que, em 24 horas, o preço subiu R$ 0,50

Douglas Hacknen
Douglas Hacknen
Publicado em 09/09/2021 às 22:58
Notícia
 Divulgação/Procon-PE
Fiscalização nos postos de combustíveis no Grande Recife - FOTO: Divulgação/Procon-PE
Leitura:

Após o início das paralisações dos caminhoneiros, iniciada nessa quarta-feira (8), os postos de combustíveis do Grande Recife amanheceram lotados de motoristas temendo a possibilidade de desabastecimento. Visando impedir abusos, nesta quinta-feira (9) o Departamento Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Pernambuco) notificou alguns postos da Região Metropolitana do Recife (RMR). 

Um posto localizado na Avenida Barão de Souza Leão, em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife foi interditado por aplicar preço abusivo. Foi constatado pela equipe do órgão que neste posto um dia anterior, a gasolina foi vendida pelo valor de R$ 5, 79, já hoje, o valor estava por R$ 6,29, um aumento de R$ 0,50.

 Divulgação/Procon-PE
Fiscalização nos postos de combustíveis no Grande Recife - Divulgação/Procon-PE

Durante a abordagem, o Procon solicitou a entrega das notas fiscais e preços praticados nesta quarta e quinta-feira, no prazo de 24h. As equipes também seguiram para a entrega das notificações em postos pela Imbiribeira, na Zona Sul, Avenida Norte, na Zona Norte, e na Avenida São Miguel, na Zona Oeste. 

O Instituto de Pesos e Medidas de Pernambuco (Ipem-PE), órgão também vinculado à SJDH, verificou se os instrumentos marcavam corretamente a quantidade de combustível. Durante a ação, alguns postos receberam notificações do Ipem-PE para reparos no prazo de até 10 dias.

O Secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, também esteve presente na ação e ressaltou o trabalho do órgão em defesa dos consumidores e tranquilizando os pernambucanos. “Nesse momento está tudo sob controle, não há motivos para essa corrida, os postos estão operando normalmente. Estamos na rua para verificar que nenhum fornecedor estará aplicando preços abusivos. Caso seja comprovado o aumento, o estabelecimento poderá responder administrativamente, além de ser interditado e de receber uma multa de até R$ 10 milhões”, comentou o secretário.

 

Denuncias

O Procon-PE recebe denuncias através do WhatsApp (3181-7000), telefone (0800 282 1512) e e-mail (denuncia@procon.pe.gov.br); já para o Ipem-PE, o consumidor pode entrar em contato pelo telefone (0800.081.1526) ou pelo formulário de denúncia no site (www.ipem.pe.gov.br).

Comentários

Últimas notícias