TRAGÉDIA

Após ser atingida por muro de Metrô no Recife, menina está entubada na UTI, em estado grave

Acidente aconteceu no início da tarde de sábado na comunidade do Papelão, no Coque.Garota passou por uma cirurgia que acabou na madrugada deste domingo. Moradores planejam um protesto para cobrar medidas da CBTU

Margarida Azevedo
Cadastrado por
Margarida Azevedo
Publicado em 17/10/2021 às 10:04 | Atualizado em 18/10/2021 às 10:34
WELLIGTON LIMA/JC IMAGEM
COQUE Menina de 8 anos brincava no momento em que foi atingida - FOTO: WELLIGTON LIMA/JC IMAGEM
Leitura:

Atualizada às 10h30 de 18/10.

A menina de 8 anos ferida pela queda de um muro do Metrô na Comunidade do Papelão, no Coque, área central do Recife, está entubada na UTI do Hospital da Restauração (HR) em estado grave e com respiração mecânica. Ela teve politrauma e passou por cirurgia na bacia. A estimativa dos médicos, segundo a assessoria de imprensa do HR, é que a criança fique no mínimo 48h na UTI, período previsto de recuperação do pós-cirúrgico.

A menina participava de uma festa, no sábado, em comemoração ao Dia das Crianças, na Avenida Central. Por volta das 13h, uma das placas do muro caiu em cima dela. Jonata Santos, que coordena o projeto Mão Amiga, responsável pelo evento, informou que havia cerca de 150 crianças no local, além de 20 voluntários e familiares da garotada.

"Foi muito sério o que aconteceu e poderia ter atingido mais crianças. Uma placa dessa deve pesar mais de 200 quilos. Ela teve hemorragias na boca, no nariz e na vagina porque houve rompimento da bacia", contou Jonata. "O estado dela é grave", destacou.

Indignação

"A comunidade está muito revoltada. Vários ofícios já foram enviados para a CBTU, pelo ponto de cultura que existe no Coque, alertando sobre a situação dos muros e pedindo providências. Infelizmente nada foi feito e acontece uma tragédia dessa", comentou Jonata. Segundo ele, a menina ferida é uma das mais ativas do Projeto Mão Amiga, que oferece recreação todos os sábados.

O acidente ocorreu logo após o almoço das crianças. Em seguida estava prevista a distribuição de presentes, o que não aconteceu diante do incidente. A garota foi socorrida por pessoas da comunidade. Inicialmente para o Imip e depois, diante da gravidade do caso, levada para o HR. "Ela é uma das mais ativas, adora nosso projeto, está presente todos os sábados", comentou Jonata.

"Era uma festa, as crianças estavam todas brincando. A gente quer Justiça, esse acidente não pode ficar impune. Ficamos todos desesperados. Foi um milagre de Deus ela ter saído viva daqui. Perdeu muito sangue e desmaiou. A CBTU precisa responder por isso", disse um tia da garota. 

Em nota, enviada apenas às 9h18 desta segunda-feira (18), a CBTU lamentou "profundamente o ocorrido" e informou que está investigando a causa do acidente.

LEIA MAIS

Dois dias após muro do Metrô do Recife atingir menina de 8 anos, CBTU diz que vai investigar o caso

A companhia disse ainda que "os 71 km de vias eletrificadas do Metrô do Recife possuem muros que passam por vistoria e reparos periodicamente", embora o JC já tenha noticiado em outra ocasião a indignação dos moradores em relação à falta de vistoria nestes mesmos muros.

Em 2015, por exemplo, após a morte de Max Mateus Antônio do Nascimento, de 10 anos, também do Coque após ser atropelado por composição do metrô, a comunidade já se queixava da falta de manutenção dos muros, que frequentemente caiam.

 

*Os nomes da vítima e dos familiares foram resguardados pela reportagem como forma de preservar a identidade da criança.

Comentários

Últimas notícias