Eleições 2020

Túlio Gadêlha quer que PDT deixe gestão Geraldo Julio para seguir pré-candidato a prefeito do Recife

O pedetista havia retirado o nome da pré-candidatura na reunião com a diretoria do PDT na última quarta-feira (4)

Alice Albuquerque Angela Fernanda Belfort
Alice Albuquerque
Angela Fernanda Belfort
Publicado em 09/03/2020 às 14:52
Notícia
FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
O deputado federal Túlio Gadelha se posiciona sobre a sua pré-candidatura a prefeito da cidade do Recife pelo PDT. - FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Leitura:

O deputado federal Túlio Gadêlha (PDT), que havia retirado o nome cotado pelo PDT para disputar a Prefeitura do Recife, anunciou em coletiva, nesta segunda-feira (9), que o PDT deve cumprir algumas “condições” para que ele continue pré-candidato no Recife. Uma das condições é que o PDT deixe a gestão do prefeito Geraldo Julio (PSB) até o dia 13 de março, caso contrário, o parlamentar não estará na disputa. Na última quarta-feira (4), Túlio Gadêlha teria anunciado a retirada da sua candidatura durante uma reunião da bancada do partido, que terminou com discussões e lágrimas por parte do pedetista pernambucano.

>> Túlio Gadêlha teria chorado e desistido da candidatura a prefeito do Recife, diz jornal

Túlio ressaltou que caso o partido não cumpra a primeira exigência para o dia 12 de março, referente à criação da comissão provisória do partido na cidade para liderar o projeto, "nós não estaremos na possível disputa".

>> Túlio Gadelha, Wolney Queiroz e o comercial de margarina do diretor Lupi

As outras condições são o PDT disponibilizar uma senha para que sejam cadastrados os futuros candidatos a vereador atraídos pelo grupo de Túlio para o partido.

Caso as condições apontadas por Túlio não sejam cumpridas, o deputado afirmou que o próximo plano vai ser olhar para o mandato em Brasília. "Que vem cumprindo uma função muito importante, evitando mais retrocessos do governo Bolsonaro. Vamos olhar para o Brasil, para as pré-candidaturas que estão colocadas aqui em Pernambuco que dialogam com o nosso campo". Caso ele não participe da disputa municipal, o parlamentar pretende trabalhar para eleger pelo menos três vereadores pelo PDT no Recife.

>> Namorado de Fátima, pernambucano Túlio Gadelha aparece no Jornal Nacional e William Bonner vira piada na internet

A segunda exigência do pedetista é que o PDT deixe a gestão do prefeito Geraldo Julio até 13 de março. "O PDT faz parte de uma gestão de um partido que nós fazemos oposição aqui na cidade. Somos oposição à gestão Geraldo Julio e temos muitas críticas, inclusive ao próprio governo do prefeito", os cargos do partido na atual gestão do Recife são em funções na secretaria de Habitação do Recife. Gadêlha ainda garantiu que o partido tem soluções para "os problemas sociais que o Recife enfrenta".

O último prazo estabelecido é o da filiação partidária, em 17 de março. Túlio informou que o PDT tem mais de 20 nomes de candidatos com "chances reais de conquistarem o mandato na Câmara Municipal do Recife", e que o partido precisa de autonomia para realizar a filiação.

Ciro Gomes

“O partido reconhece até o projeto de 2022 de Ciro Gomes a importância de uma candidatura para fortalecer esse projeto na cidade. Para entrar nele de cabeça, a gente precisa que o partido cumpra com alguns compromissos que estabelecemos, até por conta do prazo do Tribunal Regional Eleitoral e da Justiça Eleitoral, para que a gente possa filiar os candidatos a vereador no Recife”, afirmou Túlio.

Comentários

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias