demissão

Moro pede demissão após troca na PF e Bolsonaro tenta reverter, diz Folha de S.Paulo

Após troca na Polícia Federal, o ministro da Justiça pediu demissão, segundo o jornal; Bolsonaro tenta reverter a situação

JC
JC
Publicado em 23/04/2020 às 14:45
Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil
Sérgio Moro veio ao Brasil recentemente, quando participou de reuniões políticas e teria deixado a filiação certa - FOTO: Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil
Leitura:

O presidente da República comunicou, nesta quinta-feira (23), ao ministro da Justiça, Sergio Moro, que pretende trocar a diretoria-geral da Polícia Federal, ocupada por Maurício Valeixo. Após a troca na Polícia Federal, segundo o jornal Folha de São Paulo, o ministro da Justiça pediu demissão. Já Estadão e O Globo, falam apenas em ameaça, não em demissão. De toda forma, Bolsonaro agora tenta reverter a situação.

>> "É preciso começar o 'Fora, Bolsonaro'", pede Lula nas redes sociais

Valeixo foi escolhido por Moro para o cargo e depois que Bolsonaro informou que a mudança deve acontecer nos próximos dias, o ministro pediu demissão do cargo. No entanto, presidente tenta reverter a situação.

O atual diretor-geral é de confiança de Moro e desde o ano passado a troca do comando da PF vem sendo ameaçada por Bolsonaro, quando anunciou uma troca no comando da superintendência do órgão do Rio de Janeiro. Ele quer ter maior controle sobre a atuação da polícia.

>> Em live promovida pelo Itaú, Moro afirma recuo na prática de crimes durante pandemia

Moro largou a carreira de juiz federal, que ficou famoso com as investigações da Lava Jato para se tornar ministro e tomou posse com o discurso de que teria total autonomia e status de superministro. E desde que assumiu, só acumula declínios e fracassos.

>> Ex-ministro do STF, Ayres Britto vê Bolsonaro exposto, mas diz que "casos isolados" não legitimam impeachment

O embate distancia Moro da promessa de uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF), que já estava enfraquecido depois da divulgação da troca de mensagens com procuradores da Lava Jato.

Comentários

Últimas notícias