isolamento social

Doria afirma que 'conduta errática do presidente' estimula o relaxamento das pessoas com o isolamento

O governador de São Paulo também afirmou, em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (6), que o Estado não vai ter flexibilização enquanto a taxa de isolamento estiver abaixo de 50%

Estadão Conteúdo
Cadastrado por
Estadão Conteúdo
Publicado em 06/05/2020 às 14:33
MARCOS CORREIA/PR
Presidente da República, Jair Bolsonaro (PL) e governador de São Paulo, João Doria (PSDB) - FOTO: MARCOS CORREIA/PR
Leitura:

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), acusou o presidente Jair Bolsonaro de dar um "péssimo exemplo aos brasileiros" no combate ao novo coronavírus.

Ao comentar os números de isolamento social, Doria afirmou: "O que tem estimulado lamentavelmente o relaxamento das pessoas é a conduta errática do presidente que, dando maus exemplos, todos os finais de semana sai para fazer passeios na Esplanada dos Ministérios ou em cidades satélites de Brasília".

>> Celso de Mello defende a liberdade de imprensa e o não sigilo do inquérito que envolve Bolsonaro

Em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, o tucano disse que, no mundo, além do presidente da República, apenas dois ditadores, o da Bielorússia, Aleksandr Lukashenko, e da Nicarágua, Daniel Ortega, são contra o isolamento social.

SP não vai flexibilizar com taxa de isolamento abaixo de 50%

Doria disse mais uma vez que o Estado não irá adotar nenhuma medida de flexibilização da quarentena caso a média da taxa de isolamento social registrada pelo governo não esteja pelo menos entre 50% e 60%, números considerados seguros pela secretaria estadual de Saúde para reabrir alguns setores da economia em meio à pandemia do novo coronavírus.

>> MPF e MPCO recomendam transparência nas contratações da Prefeitura do Recife contra o coronavírus

Na terça-feira (5), São Paulo registrou um índice de 47% de adesão da população ao isolamento social em todo Estado, enquanto a capital paulista registrou 48%. "Em ambos os casos, abaixo da média mínima desejada para qualquer análise futura sobre isolamento social", afirmou o governador.

>> Veja os inquéritos no STF que envolvem integrantes da família Bolsonaro

Segundo o secretário de Saúde de São Paulo, José Henrique Germann, houve um acréscimo de 3.800 novos casos de covid-19 no Estado, em aumento de 10%, além de mais 194 mortes confirmadas pela doença, representando uma alta de 7% nas últimas 24 horas. Ao todo, são 37.853 infectados e 3.045 óbitos em São Paulo. O secretário ainda informou que a ocupação de leitos de UTI voltados ao tratamento de infectados pela covid-19 no Estado é de 67%, enquanto a região da Grande São Paulo registra 86% de leitos ocupados.

Por ter ultrapassado a marca de três mil mortes pelo novo coronavírus, Doria informou que o governo estadual irá publicar um decreto na quinta-feira (7) no Diário Oficial que determina luto oficial em São Paulo. A decisão, segundo o governador, terá validade até o fim da pandemia.

Comentários

Últimas notícias