Recife

Prefeito do Recife diz que lockdown não seria efetivo por causa do comportamento de Bolsonaro e de parte da população

Geraldo Julio falou sobre as medidas de isolamento que estão sendo tomadas no Recife e reiterou a necessidade da população obedecer as medidas de quarentena

Gabriela Carvalho
Gabriela Carvalho
Publicado em 08/05/2020 às 9:30
Notícia
 JC Imagem
Geraldo falou sobre o possível lockdown no Recife para reduzir o contágio de coronavírus - FOTO: JC Imagem
Leitura:

Em pronunciamento nesta sexta-feira (8) o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB) falou sobre a questão do lockdown (bloqueio total) na cidade. Para o socialista, o lockdown é necessário, mas será feito na hora certa, com base em análise científicas.

>> Justiça impõe responsabilidade por lockdown em Pernambuco a Paulo Câmara, que evita questionamento

"A medida de fechamento total tem um objetivo científico, que é reduzir ao máximo o contato social e o contágio. Ele (lockdown) deve ser adotado na hora certa e pelo tempo certo. Fazer antes do momento certo reduz sua eficiência", explicou.

>> Entenda o que é um lockdown durante a pandemia do coronavírus

O prefeito criticou atuação do governo federal no combate à pandemia. "O apoio às empresas foi tímido, o socorro aos empregos muito limitado, o apoio aos governos e prefeituras será pequeno e muito atrasado".

>> Comitê Científico do Consórcio Nordeste recomenda lockdown em estados com ocupação alta de leitos

O socialista também criticou a falta de uma "unidade nacional" no País no que tange à pandemia e pregou a unificação nas medidas tomadas no Brasil. O prefeito da Capital fez comparações com outros países que estão combatendo o coronavírus com decisões mais "unificadas" entre os níveis de governo. 

"Na maioria dos países existe uma unidade nacional contra o vírus. A ação conjunta dos governos nacionais, regionais e locais tem sido a marca principal do combate à pandemia. Aqui, infelizmente, não existe nada disso. Lideranças importantes pregam contra e parte da sociedade nega a pandemia. Somos um país com governos atuando em direções contrárias e com a população dividida", argumentou.

Petição do MPPE

Sobre o petição feita por um promotor do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) pedindo pelo lockdown no estado de Pernambuco e, por consequência, no Recife, o socialista afirmou, em entrevista concedida para a CNN Brasil nesta sexta-feira (8), que tanto a Prefeitura quanto o governo do Estado estão tomando todas as decisões com base nas análises diárias da situação. 

"Até aqui a Prefeitura do Recife e o Governo do Estado tem tomado as decisões com base em evidências científicas. Cada momento nós estamos tomando as decisões necessárias para manter o isolamento no nível adequado. Com relação a esse pedido que foi feito, a Justiça já se pronunciou, mas a gente vai continuar fazendo análises diariamente de todos os dados, com todo o comitê científico que tem feito esse trabalho, para que as decisões sejam tomadas no momento certo", explicou à repórter. 

>> Justiça nega pedido do Ministério Público e não determina lockdown em Pernambuco

O prefeito reiterou a necessidade de obedecer as medidas de isolamento e fez comparações com outras cidades no mundo. "Se nós fizermos um comparativo, trazendo para cá a evolução da curva em Nova York, por exemplo, que começou o isolamento mais tarde, nós já poderíamos ter aqui no Recife 12 vezes mais vítimas do que foram até agora", disse.

>> Lockdown: promotor vai recorrer, e chefe do Ministério Público de Pernambuco não vê justificativa científica para isso

A respeito de um possível colapso no sistema de saúde, que em breve terá 100% dos leitos ocupados, Geraldo mostrou preocupação e pediu que a população ficasse em casa para aliviar a sobrecarga nos hospitais. 

"A gente vê isso sempre com muita preocupação e estamos trabalhando para que todos possam ter atendimento. Essa situação que a gente vive hoje, já teria sido vivida no inicio de abril se o isolamento não tivesse sido feito. Quanto maior a adesão da população ao isolamento, maior será a dificuldade de sobrecarga do sistema de saúde", explicou.

>> 'Foi o aumento de casos que me fez tomar essa decisão', diz promotor do MPPE sobre pedido de lockdown 

Comentários

Últimas notícias