Videoconferência

Paulo Câmara apresenta plano de reabertura econômica aos prefeitos do Estado

Na ocasião, o governador sugeriu reuniões na próxima semana para o debate de planos regionalizados de flexibilização do isolamento

JC
JC
Publicado em 02/06/2020 às 20:45
Notícia
YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
"Desejo que o presidente Jair Bolsonaro tenha uma rápida recuperação", disse o governador - FOTO: YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

O governador Paulo Câmara (PSB) participou, nesta terça-feira (2), de uma videoconferência com prefeitos do Estado para apresentar o Plano de Monitoramento e Convivência com a Covid-19, anunciado ontem pelo governo estadual. O encontro foi promovido pela Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) e contou com a presença dos secretários estaduais de Saúde, André Longo, e de Planejamento, Alexandre Rebelo.

De acordo com a Amupe, durante toda a reunião, os representantes do Executivo estadual demonstraram estar dispostos a debater com os gestores municipais a construção de planos regionalizados, sempre respeitando as orientações das autoridades de saúde. O governador, por exemplo, teria sugerido reuniões na próxima semana com os municípios das macrorregiões de Pernambuco para tratar do tema.

"Esses encontros ajudarão na discussão das peculiaridades de cada região. Desde o início é nosso intuito buscar essa regionalização, tenho discutido isso com a área da saúde. Evidentemente não dá pra discutir o plano município por município, mas dá pra gente montar por macrorregião", disse Paulo.

>> ''Frustrou a todos'', diz prefeito de Jaboatão sobre plano de retomada econômica do governo do Estado

>> Conheça as 11 etapas do plano para reabertura de 100% das atividades econômicas de Pernambuco

>> Algumas lacunas e contradições do plano de reabertura do Governo de Pernambuco

André Longo, por sua vez, justificou a opção do Estado de, no momento, não realizar flexibilizações regionais. "Nesse momento nós preferimos ser conservadores e decidimos não fazer nenhuma flexibilização regional pelo menos durante essa semana. No entanto, a partir da próxima semana tudo isso será levado em conta", pontuou o secretário.

Na ocasião, ao mostrar aos prefeitos ponto a ponto do plano de reabertura, Alexandre Rebêlo explicou que o governo levou em consideração três índices ao optar pelas mudançasda maneira como fez. "Em Pernambuco, a tendência da curva é de estabilização da pandemia. Nós trabalhamos com três índices, o número de novos casos, o número diário de óbitos e a capacidade do sistema de saúde, por meio da quantidade de leitos de enfermaria e UTI, e os três também mantém a tendência de estabilização", relatou o auxiliar do governador.

Miguel Coelho (MDB), prefeito de Petrolina, cidade que colocou em prática na última segunda-feira (1º) um plano próprio de reabertura econômica, ressaltou que todas as ações adotadas no município foram executadas com o conhecimento e consentimento do governo estadual. "Petrolina é a segunda cidade no Estado que mais realiza testes. Seguindo critério populacional, testamos 1.700 pessoas a cada 100.000 habitantes, só ficamos atrás do Recife. Além da nossa proximidade com Juazeiro, na Bahia, que também está flexibilizando o isolamento. Toda retomada seguirá as recomendações das organizações sanitárias e será gradativa", declarou o gestor.

"A situação é nova para todos os gestores e o diálogo entre Estados e Municípios é fundamental. A discussão regionalizada nos deixa mais próximos do problema e, consequentemente, mais próximos de acertar e vencer essa pandemia o mais rápido possível, seguindo as orientações das organizações sanitárias internacionais", afirmou o presidente da Amupe e prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota (PSB).

CHEFE DOS PODERES

Pela manhã, o governador comandou uma reunião com os presidentes da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Eriberto Medeiros (PP); do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), desembargador Fernando Cerqueira; do Tribunal de Contas do Estado (TCE), conselheiro Dirceu Rodolfo; e com o procurador-geral de Justiça do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Francisco Dirceu Barros.

Comentários

Últimas notícias