APAGÃO

Em reunião, Alcolumbre pede a Bolsonaro ajuda para o Amapá

Alcolumbre tratou do pagamento de um auxílio social aos amapaenses atingidos pelo apagão e das providências do governo federal para resolver o problema

Agência Brasil
Agência Brasil
Publicado em 19/11/2020 às 22:33
Notícia

PALÁCIO DO PLANALTO/DIVULGAÇÃO
Alcolumbre e Bolsonaro reuniram-se nesta quinta-feira (19) - FOTO: PALÁCIO DO PLANALTO/DIVULGAÇÃO
Leitura:

O presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre, se reuniu nesta quinta-feira (19) com o presidente da República, Jair Bolsonaro, para tratar do apagão que ocorreu no Amapá no início do mês e que ainda afeta os moradores. Alcolumbre tratou do pagamento de um auxílio social aos amapaenses atingidos pelo apagão e das providências do governo federal para resolver o problema.

>> Justiça determina afastamento provisório da diretoria da Aneel e ONS após apagão no Amapá

Durante a conversa Alcolumbre relatou as dificuldades que a população daquele estado está enfrentando e fez um convite a Bolsonaro para que ele visite o estado. Segundo a assessoria de Alcolumbre, há a expectativa de o senador ir a Macapá no próximo sábado (21).

O presidente do Congresso, que é amapaense e senador eleito pelo estado, também conversou com o ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre o auxílio social. De acordo com a assessoria do senador, Guedes “sinalizou que há ferramentas disponíveis para atender os amapaenses”.

No dia 3 de novembro, um transformador pegou fogo e deixou 14 das 16 cidades do estado sem luz. Dos outros dois equipamentos no local, um também acabou danificado e outro já estava inoperante. Com isso, o estado ficou mais de 80 horas sem energia elétrica. E até agora a situação não foi totalmente restabelecida, com a população tendo fornecimento de energia limitado, em sistema de rodízio.

Relato

Durante a sessão plenária desta quinta-feira (19), os senadores aprovaram um projeto que concede crédito na conta de luz aos amapaenses atingidos pelo apagão. Durante as discussões da matéria, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) pediu a palavra e disse ver coisas “que jamais imaginaria ver”. “Pessoas correndo desesperadas por uma garrafa de água potável. Comerciantes tendo seu faturamento do último mês sendo desperdiçado”, disse o Senador.

Ele também comentou o afastamento provisório dos dirigentes da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) (https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2020-11/justica-determina-afastamento-provisorio-da-diretoria-da-aneel-e-ons). A decisão judicial atendeu um pedido feito pelo próprio senador.

“Eles sabiam que desde novembro do ano passado o transformador reserva estava inoperante. Não teve providência nenhuma, teve omissão. Eles não são parte da solução do problema, eles se tornaram o problema. Quem está resolvendo o problema são os heroicos trabalhadores das centrais elétricas do norte do Brasil, da Eletronorte e da Companhia de Eletricidade do Amapá, que merecem nossas homenagens”.

Comentários

Últimas notícias