Eleições 2020

Marília Arraes cita investigações sobre compra de respiradores pela PCR

"Como vocês estão vendo, está havendo muita denúncia de corrupção, seis operações da Polícia Federal", disse Marília

JC
JC
Publicado em 24/11/2020 às 13:39
Notícia

YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM
Marília Arraes (PT) participa de debate na TV Jornal - FOTO: YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM
Leitura:

 

Arte: JC
Eleições de 2020 - Arte: JC

No quarto bloco do debate da TV Jornal, realizado nesta terça-feira (24), a candidata a prefeita do Recife Marília Arraes (PT) mencionou as investigações envolvendo supostas compras irregulares de respiradores pela Prefeitura do Recife no combate à pandemia do novo coronavírus (covid-19). A estratégia de associação de João à imagem do prefeito Geraldo Julio vem sendo adotada por Marília ao longo da campanha. 

O caso foi citado no terceiro bloco, momento em que houve sorteio de perguntas e o tema sorteado era a corrupção. Marília perguntou a respeito das medidas para melhorar a transparência a serem adotadas por João em uma eventual gestão.

>> João Campos traz ao debate investigação do MPPE contra Marília Arraes

>> No início do debate TV Jornal, Marília Arraes diz que não vai cair em 'provocações' de João Campos

João garantiu que não irá tolerar qualquer ato de corrupção no seu governo e aproveitou para fazer uma defesa da gestão de Geraldo Julio. "O Recife criou recentemente a Lei da Transparência, criou o portal de dados abertos, a Controladoria interna do município. Nada disso existia na gestão PT, foi criado recentemente. O Portal da Transparência que é sim premiado pela Controladoria Geral da União e pela ONG da Transparência Internacional, que são grandes entidades que reconhecem o combate à corrupção", disse o socialista. 

Assim como veio pontuando ao longo do debate, João citou mais uma vez a ação de improbidade administrativa do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) contra Marília. "Sobre esse tema, a gente tem que perguntar é a candidata Marília sobre esses processos que de fato não estão encerrados, como ela conduziu o mandato de vereadora na contratação de funcionários fantasmas". 

Marília rebateu João acusando-o de "debater fake news, debater fofoca, debater um processo que já foi julgado". "Os mesmos fatos, as mesmas coisas que foram trazidas de volta para esse novo processo que com certeza vai ter o mesmo desfecho", disse.

Ela então citou as investigações sobre os respiradores. "Como vocês estão vendo, está havendo muita denúncia de corrupção, seis operações da Polícia Federal, compra de respiradores de porco e a gente não sabe o que é que tem mais", disse Marília. Ela faz referência aos testes feitos apenas em animais pela empresa que forneceu os respiradores, sem aprovação da Anvisa, na compra investigada pela Polícia Federal. Os equipamentos e o dinheiro foram devolvidos. 

Segundo a candidata, o seu primeiro ato caso seja eleita, ainda no período de transição, será responder todos os pedidos de informação à prefeitura pendentes. "E vamos auditar todos os contratos da prefeitura para a gente começar bem essa gestão, inclusive com economia, para que esse dinheiro possa ser usado para investir na cidade como se deve, para ter mais creches, para ter mais habitacionais, para ter mais saúde para as pessoas", disse Marília. 

"Falar de corrupção não é falar de fake news não. O que nós colocamos na televisão e vamos colocar sim é uma denúncia que o MPPE fez ao mandato da candidata Marília. Ela vai ter o direito de se defender. Não sou eu que estou dizendo, é o MPPE que a está acusando de funcionários fantasmas", disse João, na tréplica. 

Arte: JC
Eleições de 2020 - FOTO:Arte: JC

Comentários

Últimas notícias